Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

poema para a noite

foram ruas que nunca mais caminhei,
foram brejos que nunca mais visitei,
foram luas
que andando entre as nuvens
custavam chegar,
chegar ao fim do mundo,
chegar ao infinito
no passeio doido e embriagado que elas dão
pelas noites,
a longa distância do corpo e da lua,
esse corpo louco que pensa na lua
mas prende na terra.

foram mais de mil anos de músculo,
de sangue, de pedra,
foram tempos que eu nunca vivi,
em que eu jamais rolei uma lágrima ao chão,

mas a chuva e o barro
na terra
clamavam
o tempo chegado do vinho e do pão.
andré boniatti
Enviado por andré boniatti em 03/06/2006
Reeditado em 14/09/2006
Código do texto: T168938
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
andré boniatti
Corbélia - Paraná - Brasil
288 textos (45244 leituras)
17 áudios (849 audições)
14 e-livros (767 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:23)
andré boniatti