Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O canto do mar

A hora crepuscular me convidava a deitar angústias
tão minhas,solitárias,cultivadas nas zonas sombrias,
naquela concha imensa,de tentáculos bravios e frios,
me dando e recebendo à ressaca de açoites e arrepios!

Foi assim que me tragavam vorazes os braços temíveis
do pélago também angustiado estrelando no meu peito,
embaralhando, pouco ao pouco seu canto ao meu grito,
agor'o mais sigiloso de viagens jamais inimagináveis!

Sem fugir, não se afogava minh’alma,que entre anelos,
cântico co’o mar  entoava, pensando-se uma vaga nova,
parida do matrimônio quando terra à água se entregava,
cumprindo interação sagrada que citam os crepúsculos!

Brasa incendiava o crepúsculo e minh’alma despetalava
entre os pedaços de mar, bálsamo que por mim  entrava,
pondo meus meandros marinhos e crispados a crescerem
em alto vôo vertiginoso, tentando as angustias matarem!

Novas avenidas enveredo onda’inda pequenina e calma,
não sei nem vou rugir bravura,apenas levarei meu canto
marulhado a qualquer canto que se procure breve alento.
Sinto o doce crepúsculo manso beijar-me a face da’alma!

Santos-SP-07/07/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 07/07/2006
Código do texto: T189440
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 01:57)
Inês Marucci