Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ao Luar - glosa Ao Luar de Augusto dos Anjos

Quando, à noite, o Infinito se levanta
À luz do luar, pelos caminhos quedos
Minha tátil intensidade é tanta
Que eu sinto a alma do Cosmos nos meus dedos!

*

Quando, à noite, o Infinito se levanta,
em meio a um cristal de ecos entoados,
atrás do sono da aurora um sonho agita,
balbucia e geme, enche meus ouvidos!

Arranca co’as unhas da fantasia ávida,
à luz do luar, pelos caminhos quedos,
onde minha errante alma foi marcada,
a fogo mádido da lua e seus segredos!

De asas abertas toco as montanhas
trazendo seu abraço, oh carícia santa!
Minha tátil intensidade é tanta,
que me vem dançar o céu nas entranhas!

Nas gotas da lua me banho e divinizo,
afogando tantos ais vãos e tolos credos
e em meio a florescimentos me sublimizo,
que eu sinto a alma do Cosmos nos meus dedos!

Santos-SP-25/10/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 25/10/2006
Código do texto: T273364
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:51)
Inês Marucci