Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

COISAS DO SERTÃO

A casa de barro no cume da serra
É um quadro caboclo pintado por Deus.
Das sementes lançadas no seio da terra
Restaram migalhas para os pequenos plebeus.

Na sombra esguia do mandacaru
As corais venenosas repousam tranqüilas.
Bizarros casais no surucucu
Observam pasmados as formigas em filas.

Bacuraus solitários, jogados ao léu,
Errantes perdidos, sem par, sem calor;
O zimbro suave descendo do céu
Beijando as folhinhas com gotas de amor.

Saudade tamanha do carro de boi
Gemendo na estrada do meu sentimento.
A carreta veloz tanto veio e foi
Que apagou sua imagem do meu pensamento.

Na longa estiagem do pungente verão
A água potável é mera vaidade.
E o cálido rei no velho sertão
Rasga o chão sem dó, sem piedade.
Carlos Melgaço
Enviado por Carlos Melgaço em 23/08/2007
Código do texto: T620354

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Melgaço
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 59 anos
1147 textos (33627 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 20:04)
Carlos Melgaço