Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O mais nada era


 O dia despediu-se da noite,

suavemente.

A tardinha enfeitou-se com fios de sol

e pôs-se à janela

vendo o horizonte que se diluía.

Um barco lento afastou-se

do cais de madeira,

 estremecendo a água.

No alto do céu, acordou a primeira estrela.

O dia suspirava

como flor que abrisse a vez primeira

e recebesse a abelha

zumbindo na misteriosa troca

de pólen e carícia.



A vida adormecia, redonda e pura.



Ontem já fora e o amanhã era

 dulcíssima promessa.



Lisboa, 21/12/2004

Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 21/12/2004
Reeditado em 09/08/2006
Código do texto: T715
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130540 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:51)
Maria Petronilho

Site do Escritor