Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Corrente de Natal

Poema I

                Edson Gonçalves Ferreira

Abro as minhas mãos em concha
Faço delas uma manjedoura
E abrigo, no calor delas, o Menino

Minhas mãos ainda são fortes
Minhas mãos são generosas
E o Cristo-Menino sorri
Acariciado por elas.

Abro as minhas mãos em concha
Faço delas uma manjedoura
Pronta para abrigar você.



Poema II

  Sônia Ortega


Com as mãos unidas
a menina ora, enquanto nas crianças
brilha os olhinhos no abrigo-manjedoura,
a pequena árvore vai ganhando vida
com os coloridos desenhos, coloridos
sonhos: de algodão e pétalas
deixam seu pedido pendurado
esperando por uma mão em concha...

Orando a menina chora
pois tem a mão que ainda tem na memória
é a mão de fúria que se levantou desgovernada
e, pela cidade, perdida cheira cola,
vende crack, se prostitui na feira,
mas ganha uma laranja...

Orando pede que, nesse dia,
ela não precise de cola,
que possa ter um pedaço de bolo
no café da manhã e uns trocados no bolso
para o lanchinho do almoço, um chocolate e, quem sabe,
encontrar no lixo, um belo tênis,
isso é tudo que ela quer,
não esquece os amiguinhos
pede que eles tenham a mesma sorte.

Poema III

             Fernanda Araújo

O Natal se aproxima....
Meu coração se aquece
São lembranças, são temores
Que a gente nunca se esquece!
Mas eu peço ao Deus-Menino
Que do mundo tire as dores
E traga felicidade
Para cada um de nós
Seja criança, jovem ou mais velho
Que se sinta mais feliz
Que esta noite encha de luz
Que dure o ano inteiro.


Poema IV

                Claraluna

Abro minhas mãos também
Pra afagar o Menino que nasceu lá em Belém

É o Seu aniversário
Mas ninguém disto se lembra
Preferem um velho gordo, inventado, uma lenda

No aniversário de Cristo
Seja Ele o convidado
Que muitas portas se abram pra Jesus, o Iluminado

Com Ele não haverá
Fome, tristeza, miséria ou doença
Ele é a paz que excede a todo entendimento
Com Ele não há violência.

Poema V

            Zélia Nicolodi

Mais um Natal vem chegando
E as lojas vão se enchendo!
E o povo vai se irritando
E nem mesmo percebendo
Que para a verdade do Natal
Bem pouca gente se atenta
Que essa data não é banal
Encontro de compra e venda...
Se o dinheiro é escasso,
Se pendura no cartão,
E nem pensa no fracasso
De não dar um presentão...

Muitos poucos é que se lembram
Da festa a real razão
E com carinho sustenta
Grande fé no coração
E rezam pro Deus Menino
E O louvam em oração
Nosso Jesus pequenino
Com sincera devoção!

Poema VI

              Celina Figueiredo

É noite
Pela ruas, vago sem destino.
Luzes, vitrines coloridas, bolas multicores..
Em cada canto, um Papai Noel vende ilusão.
Ansiosa, procuro o aniversariante:
Nas lojas, nas árvores iluminadas,
Nos sinos que cantam sem cessar: “Noite Feliz, Noite Feliz...”
Tudo em vão.
Já cansada,  encontro, num cantinho, um pobre menino,
Triste, solitário, mal vestido,
A cada um lançando seu olhar,
A cada qual implorando seu presente:
Nem carrinhos comandados,
Nem robôs, nem celulares,
Apenas, tão somente, pede Amor
Só, então, vejo JESUS que nele habita.

Poema VII

          Helena Luna

Natal de amor e de paz
por um mundo melhor
sem barreiras
sem fronteiras...
corações abertos
mãos unidas
de um canto a outro da Terra
esperanças renovadas
nesta noite abençoada
nasceu um Menino.

Poema VIII

            Mariza Brasil


É Natal! Mesas fartas, famílias reunidas
Comemorando o aniversário de Jesus Cristo.
Amigos, o único presente que Ele deseja
É que oremos pela paz na terra,
Que o amor reine nos corações, por nossos irmãos,
Em especial, os menos favorecidos.
Estendermos-lhes as mãos em todos os dias
Por serem, de Jesus, os preferidos.
Pedirmos a Deus Pai em nome de Seu filho,
Que estará esperando por este presente
Para nos agradecer comovido
Com bênçãos de amor divino.


Poema IX
             
 Angela Rodrigues

Natal é mais que troca de presente
É o aniversário do menino Jesus
Este ano faça diferente
E seja para o mundo uma luz.
Esqueça a correria
desta vida tão corrida
Dê um pouco de alegria
A quem precisa de comida.
Faça ceia, reparta o pão
Aqueça um coração
E viva seu melhor Natal
De um jeito original!


Poema X

               Sônia Maria Cidreira de Farias

 
“Vinde a mim as criancinhas”: assim falou Jesus
Natal!  Oportunidade de fazer luzir a Luz!
Soltar a criança que há em nós
Com pureza e retidão compreender o mal...
afastá-lo em silêncio como se afasta os pós que estão sobre tudo e todos!!
Entoar cânticos de pura renovação
Moldar a argila do mais rebelde coração
Elevar o pensamento ao infinito...
trazer até nós a mais pura glória
A glória do Senhor da Vida!!
Afastar toda tristeza, deixando brilhar a alegria...
levando-a aos confins do mundo,através do pensamento...
eternizando a magia do momento!
Natal!! Momento mágico de paz...



 
Poema XI
                  Mira Ira

No Natal,
a maior felicidade é a da gente pequena,
que, na véspera santa,
a sua comoção é tanta,
que nem dorme serena.
Cada menino abre um olhinho na noite incerta,
para ver se a aurora já está desperta.
De manhãzinha, salta da cama,
correndo á sala,
mesmo em pijama,
só pra ver se o agrado deixado debaixo da árvore de luz, realmente lhe faz jus
Ah, Natal!... branda maciez da matutina luz,
aguarda-o a surpresa do Menino Jesus.


Poema XII

          Jacó Filho

Neste Natal,
Calo a fome, grito por justiça, chegou o Natal...
Durmo nas calçadas, mas quero minha cama...
Quero do estatuto, os direitos que proclama...
Quero da arvore do amor, o seu fruto natural....
Eu não renego a manjedoura que me encontro...
Quero respostas para ontem, agora e amanhã...
Que não me digam que minha mente já foi sã...
Negando Deus, as pessoas parecem monstros...
Nesse natal, quero o amor da minha família...
Esquecer a fome, o frio, tristeza e o abandono...
Quero cantar, ouvir risos e uma noite de sono...
Quero sentir uma solidariedade sem anomalia,
Sem preconceitos, e essa hipocrisia sem dono...
Igualdade a todos, quero Deus, como patrono...


Poema XIII

              Milla Pereira

O Natal já se aproxima

A cidade se agiganta,

Apesar das intempéries,

As luzes piscam em série,

É tanta beleza...tanta!

Que às pessoas alucina!


Nas lojas, só movimento,

Todos carregam presentes...

E, em total utopia,

À procura de alegria,

Ilumina-se essa gente,

Talvez, em busca de alento!


Alguém sentiu, por acaso,

A dor do frio na pele?

O dormir sempre na rua

E, em sonhos se situa

Para não sentir aquele

Ódio, por total descaso?


As crianças desprezadas,

Esquecidas nas esquinas,

Fumando um baseado,

Que conseguiu, por trocados

Porque essa é sua sina

De ser marginalizado?




Natal, pra mim se destina

À união entre todos...

Do rico que tem sua ceia,

E sua noite recheia,

Dos esquecidos no lodo

Pois Jesus, não discrimina!


Poema XIV

           Rosita Barroso

Natal data que nos faz do amor lembrar
E olhar com carinho para nosso irmão
Lembrando como é bom amar
Alguém que precisa segurar nossa mão.
 
Natal nos faz lembrar que Jesus nasceu
Para nos ensinar que devemos nos unir
E não somente para trocar presentes
E em mesa farta muito alimento consumir
 
Natal nos lembra que Ele viveu na pobreza
Sempre cercado de pessoas humildes
Para aprendermos que o amor é a maior riqueza.
 
Vamos colocar em prática seus ensinamentos
Suas pegadas procurar sempre seguir
Para estar  ao lado Dele em todos os momentos.
 

Poema XV

            Lúcia Constantino
 
Ouço um violino
 quem sabe não seja
Jesus Menino
tocando a minha vida
 nessa canção?
Paz na Terra entre os homens...
Todos os homens deviam
gravar a música
desse menino no coração.
Um Feliz Advento da Noite de Paz!


Poema XVI

          Marisa Queiroz


 
Natal, mais uma oportunidade de renovar as esperança
Esperança de um mundo melhor com mais amor
Esperança que o ser humano não se insensibilize
Que dê a mão ao próximo que precisa
Que o mundo seja mais fraterno e mais justo
Natal de renovação de valores humanos
Natal de ternura e paz!


Poema XVII
 
            Thainá Estrela
 
Mais um Natal se aproxima
E junto uma nova esperança
Quem sabe de um mundo melhor
No olhar de uma criança!


Poema XVIII

                        Lanna Agda
 
Ouçam... É som de clarins!
Tocados por Querubins.
Anunciando esta festa sem igual
Já é chegado o Natal.


Poema XIX
 
             Sogueira
 
É Natal
O Natal está próximo
Festejos unindo às mentes
As luzes embelezam cidades
O comércio vai velozmente
O Céu canta a glória
Com o aniversário de Jesus
Lapinhas as mais variadas
No coração acende uma luz
Repensemos o passado
Festejemos o presente
O futuro é hoje, agora
Louvemos a nossa gente
Coração com muito amor
Perdão para os inimigos
Gratidão pelo que temos
Feliz Natal meus amigos
 
 
Poema XX
 
             Ledalge
 
Pra que todos os homens celebrem
Neste mês tão precioso vindouro
E se agrupem em correntes celestes
Pra trazer nosso Cristo de novo.
Cada qual com sua árvore bendita
Mais brilhante que o manto do céu
No horizonte a centelha de vida
Representada por Papai Noel.
As crianças que nela tocarem,
Serão anjos que vieram a Terra,
Dos mais belos presentes alados
Nas noites felizes sem trevas,
E Jesus há de estar ao seu lado
Basta crer no amor , não na guerra!
 
 
Poema XXI
       
        Ana  Maria Gazzaneo
 
 
Mais uma vez, Meu Menino
É tempo de festejar
Tua vinda com carinho
Pra humanidade salvar
Te agradeço, Pequenino
Pela ternura sem par
Que trazes em infinito
Na meiguice deste olhar...
Quiçá toda a humanidade
Com tua presença em paz,
Felicidade encontre
Aquém de festa pomposa...
Pois que em pobreza vieste
E nas tuas pobres vestes
Como Deus Te revelaste!
Simplicidade, assombrosa!
 
 
Poema XXII
 
                       Xama
 
O natal nos chama atenção
É tempo de confraternização
Que Jesus ilumine toda nação
Que não falte pão a nenhum irmão
Um abraço,um aperto de mão
Que a paz habite todo coração.


Poema XXIII
 
                 Milla Pereira
 
Nessa noite de Natal
Pedirei ao aniversariante
Que termine com o mal
Que na Terra é reinante!
 
Com as minhas mãos unidas
Eu farei minhas orações
Para que Ele dê guarida
A todos os corações.
 
Que olhe por todo mundo
E por todas as crianças
Pois o Seu amor profundo
É o que nos dá esperanças!
 
 
 
Poema XXIV

          Mario Roberto Guimarães

 
Todos os dias da vida,
Ao Senhor eu agradeço
Pela graça recebida,
Porque sei que não mereço.
 
E, por isso mesmo, é graça,
Um favor imerecido,
O amor que nos abraça,
Dando à vinda outro sentido.
 
Que o nascimento de Cristo
Seja lembrado com amor
E consigamos, com isto,
Fazer um mundo melhor.
 
 
 
 
Poema XXV
 
            Flor Enigmática
 
É Natal..,que legal
JiNGLE Bell...temos pão de mel
Nosso cântico angelical
É como sempre quis
Noite Feliz!!!
 
Natal de Jesus
Natal de Papai Noel
Natal que nos conduz
Natal com carrocel
 
Papai Noel chegando,ô,ô,ô
Tocam os sininhos
Todos indicam um caminho
E a terra que logo aqui se encerra
 
Presente,Balas,brinquedos
Para Mário,Maria,Pedro e Joana
Todos aguardam a hora
Nossas vidas  estão a renascer
Hora e hora que emana
Com folguedos..
Vai de novo nascer
Jesus nosso REI!!!!
 
 
 
Poema XXVI
 
                  Castelo Sá
 
Noite cal e feliz nos céus da Terra Santa
Astros, em multidões, rutilam sem cessar,
Os lírios do vergéis trescalam pelo ar,
Fragrância que inebria e perfume que encanta.
E a amada Belém, cheia de glória tanta
cidade de Davi, silente a repousar,
na campina o zagal cuida em apascentar
o rebanho indefeso, enquanto em folga e canta.
 
"Glória a Deus nas alturas e no mundo haja paz
aos homens", bradam alto os anjos do Senhor,
entre os clarões da Luz Divina Celestial.
Pois, numa gruta humilde, em meio aos animais,
Nasce o Menino Jesus, o Salvador,
E faz surgir para a história, o primeiro Natal.
 



 
Poema XXVII
 
             Zeca Repentista
 
 
Natal,  traz muita alegria
Natal,mas traz tristeza também
foram muitas etapas vencidas
foram muitos amigos pro além
 

Poema XXVIII
 
                 Maria Thereza Neves
 
 
A noite de Natal está chegando
não é preciso vestido longos
nem ternos de etiquetas
mas de pensamentos e silêncios
do que fizemos dos nossos passos.
Maltrapilhos são o mais necessitados
poderosos precisam pedir perdão
pela discriminação ,
falta de teto e de pão.
A noite de Natal está chegando
em todo o mundo para todos o mundos
homens-meninos de ruas
ou de palácios e tronos !
A noite de Natal está chegando
acendendo luzes-casas-famílias
iluminando-unindo corações !
A noite de Natal está chegando
a estrela nos guiando
os três Reis Magos nos ajudando
a reencontrar o renascer sempre Jesus
se a PAZ conseguir abraçar povos e nações !
 



 
Poema XXIX
 
              Gonçalves Reis
 
É natal!
Brilhou a luz
A flor da renovação
Vem do menino Jesus
Modifica-nos então
Brilha logo a esperança
Um sorriso volta ao lábio
Harmonia vem tão mansa
Mais maduro e mais sábio
E parando pra pensar
Logo vê-se um momento
Que faz muito bem amar
Dar também algum alento
Natal é reflexão
Estar junto da família
Dando ao amigo uma atenção
Ser como essa luz que brilha


Poema XXX
 
                 Malubarni
 
Criança aceita no amor
Jesus, é toda criança
E neste Natal de cor
Virá nó de esperança!

 
Poema XXXI
 
                 Jacó Filho
 
Não devo aqui, incluir outros versos,
Que possam por em risco a Qualidade...
Apenas os votos de muitas felicidades
E que a Paz se espalhe pelo universo...
Que a tristeza seja apenas réu confesso...
Que a miséria abandone nossas cidades...
E o congresso viva e trate das verdades...
Que sejam presos governantes com processos...
Que as crianças possam galgar o sucesso...
E o ano novo nos dê uma nova vitalidade...


Poema XXXII

             Canto do Cisne
             
 
Naquela manjedoura ,forrada de feno
Há um menino envolto em panos
É Jesus,tão humilde e se fez pequeno
No frio da lapa pelos animais é aquecido
E adormece ouvindo os seus mugidos
Entre José e Maria,numa pobre estrebaria
Dorme Menino,dorme Jesus
Caminho de Amor e Luz
Que reine a paz nestes corações emperdenidos
Vamos presentear Jesus,unidos
Olhem as calçadas de seu bairro ,olhem o mendigo
Ali está Jesus como nasceu,envolto em trapos...
dê-lhe um presente, só diga:Feliz Natal
 
 
 
 
Poema XXXIII
 
                    Akeza
 
Vendo corações unidos e munidos de amor,
nesta festa natalina em homenagem ao Nosso Senhor!
 Sinto que ainda há esperança de um futuro e de uma vida melhor!
Mas para isso, devemos ter confiança
e ao dar nossas mãos, num sentido só...
que possamos amar e servir
com desprendimento e qualidade de sol!
Minha colaboração, nesta ciranda de paz!

 
Poema XXXIV

          José de Castro
 
Por entre renovadas esperanças
brilha altaneira a Estrela de Belém...
Em silêncio, eu faço uma oração.
Medito no mistério e nas coisas do além,
Almejando da vida o supremo Bem:
Neste Natal,nasça o Cristo em cada coração!
 
 
Poema XXXV
 
                  Ibernise
 
 
Natal... É tempo de renascer...
Há um novo ser brotando...
Há que se preparar para esta festa...
Ao longo da história
As pessoas sempre procuraram decifrar
A si mesmas e à realidade.
Este é um dos belos empreendimentos humanos.
Liberar-se de um mundo subterrâneo,
E poder passear na superfície...
Férias em que se observa,
O bailado alegre da natureza...
O belo! A beleza!
A beleza sempre foi um atributo divino...
Poder acariciar as flores...
Sentir o vento brando de cada manhã...
Abraçar os raios solares,
Usufruir de toda sua luz, refleti-la!
Quero ser arauto desse emergir, dessa chegada...
Novo é este tempo marcado pela beleza e pela graça...
Para que a semente brote rompendo
A crosta seca da terra...
Que florescerá na paz e união...
Reunião...
Tempo de fraternidade e acolhimento,
Comunhão e crescimento, edificações...
De todo ser humano de boa vontade...
Feliz Natal, no renascer em Cristo Jesus!!!
 
 




Poema XXXVI
 
               Fafinha
 
Que o natal seja vivido
com amor e confraternização...
Que as bênçãos do menino Jesus
iluminem todos os corações
Que neste momento de esplendor
todos possam se dar as mãos
E juntos façam uma oração
Pedido paz para toda nação.


 
Poema XXXVII
 
                 W.Fonseca
 
É tempo de um novo Natal,
De Paz, alegria e renovação.
De louvor ao Menino Jesus,
Nascido em Belém pra salvação
 
É tempo de um novo Natal,
De esperança e de oração,
à Jesus Cristo, o nosso fanal,
Senhor da Vida, e guardião.
 
Que este Natal seja de luz,
Espargindo o amor de Jesus,
Nos lares de todo o Brasil.
Que seja a Ceia do Senhor,
de alegria, reflexão e amor,
Em todos os nossos corações.
 
 
 
Poema XXXVIII
 
                  Anapholla
 
Digam as flores
na sua linguagem carinhosa e pura
o muito que eu
gostaria de dizer
que neste Natal
a Estrela do céu
brilhe mais forte para todos
que Deus nos cubra com seu manto protetor
para nos proteger por toda a vida,
nos abençoando sempre com muito amor


Poema XXXIX
 
                   Maristela
 
Que o Natal traga paz e amor
E ninguém passe frio e fome...
Aniversaria o nosso Deus,Salvador
Jesus, abençoado seja o teu nome!
 
Poema  XL
         
           Denise Servergnini
 
O barco da esperança singra os mares do tempo,/
Transportando, os anjinhos natalinos,
que anunciam Teu aniversário
os anjinhos natalinos - seres celestiais-
Pedem que esta festa animada
Tenha a felicidade, maior a Ti reservada,
Comemorando-se apenas o Teu nascimento,
Teus bons momentos, tuas magias!
Os anjinhos natalinos solicitam,
Aos amigos de fé, que te ofertem carinho,
Amor e atenção e unam-se como irmãos
Festejando com alegria o Teu natalício em harmonia.
Os anjinhos natalinos singram os mares do tempo
Anunciando a festa do amor universal: _ O NATAL!_
 

 

 

 













Prezados Amigos,

 Este poema foi escrito por amigos do Recanto das Letras: Corrente de Natal e, assim que as pessoas  elaboraram seu texto, passaram para Edson Gonçalves Ferreira, Sônia Ortega, Fernanda Araújo, Claraluna, Zélia Nicolodi que foram atualizando em suas respectivas páginas.

Hoje, por motivo de acúmulo de trabalho, estou encerrando as atualizações. O espírito da Corrente era despertar em todos a alegria de celebrar o nascimento de Cristo que, hoje, é ofuscado pelo materialismo. Se alguém quiser continuar a corrente, fiquem à vontade.  Desculpem-me minhas limitações.

Feliz Natal e Ano Novo!




edson gonçalves ferreira
Enviado por edson gonçalves ferreira em 28/11/2007
Reeditado em 04/12/2007
Código do texto: T756338
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
edson gonçalves ferreira
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil
1160 textos (135007 leituras)
141 áudios (48579 audições)
5 e-livros (699 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 13:38)
edson gonçalves ferreira