Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O 1° Sarau ninguem esquece!

A palavra congelada ,
louca pra soltar-se...
A primeira palavra,
ponta de iceberg boiando 
entre a ponta da lingua e o céu da boca!
Na mente a caravana de palavras,
encaminhando-se em fileiras,
sob o sol tórido que eram os sentimentos todos...
Ah! Como batia o coração, doido!
A pulsação, nas veias,
o sangue correndo pelo corpo,
lava quente a escorrer sob o corpo morno!
Era hora!
Grávido, pus-me a parir meu rebento,
mãe/pai retirei meu poema de meu âmago,
mostrando a sua face a olhos tantos...
E fazendo-o ouvir-se por ouvidos atentos!
A voz...
Trovão em meio a tempestade,
foi descrevendo o poema/filho/rebento
-que belo momento o do nascimento...
Estavam ali o homem, o poeta, a poesia!
Estava sob o silêncio de um profundo respeito,
todos ávidos pela poesia...
Foram o sol que derreteu o iceberg em minha boca,
o sol sob o qual se derramava a minha poesia!
A luz bela do dia
em que a minha poesia feito rio com as suas águas bravias,
Fluia... Fluia!
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 10/04/2006
Reeditado em 10/04/2006
Código do texto: T136999
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Edvaldo Rosa
São Paulo - São Paulo - Brasil, 55 anos
1727 textos (173768 leituras)
23 áudios (10650 audições)
35 e-livros (8978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:41)
Edvaldo Rosa

Site do Escritor