Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 
 
R
      ecanto
        
                das
                  
                    L 
                        etras
                         
 

 

Jean Francois Maurice- Mon Amour

 

★♫♡Je T'Aime Moi Non Plus ★♫♡ (Tradução)

 
 

★♫♡ Delírios Sensuais★♫♡ .." 28.º Graus à Sombra "

 
 

SEMPRE EXISTIRÁ O PALHAÇO


O palhaço se vai.
Tudo agora acabou
inclusive o show
bye bye bye!
Sempre um ar
de melancolia
irá ficar, isto é
uma despedida,
quem sabe um dia
hei de voltar.
Meu circo está sem lona
consigo o céu vislumbrar
todo o passado volta a tona,
hei de apreciar o luar.
Não há o que comentar
meu mundo ao redor vejo apagar
numa grande metamorfose
são paixões em overdose.
Tens a borracha em sua mão,
que não apaga meu coração.
que já não tem porque pulsar
e até sutilmente começa a latejar.
Teu nome preservarei em relicário
como meu coração não apague comentário,
já os tinha lido e gravado,
que adianta agora ser mudado.
Não se pode assim mudar o passado,
foi escrito; não será assim alterado,
mesmo escrevendo de outra maneira,
as palavras permanecem; foi besteira.
Este é meu mundo
um palhaço sem circo
um circo sem lona
numa questão de segundo.
Vejo a terra.Ela sempre está a girar.
E eu o palhaço com a cabeça a rodar,
como uma simples roda gigante,
que se mostra exuberante,
Ora lá em cima,ora em baixo.
És apenas Palhaço cabisbaixo
usado como simples capacho
e agora com cara de tacho.
Mas tudo na vida tem sua vez.
Ontem fui eu o freguês
certamente não foi a primeira vez,
Quem será o da vez?
Hei de ao luar, ficar a sorrir,
no céu tem muitas estrelas a contar,
como isso aqui se passará
e porque e como se acabará.
Pare, olhe para cada semáfaro da esquina,
isto pode acontecer em qualquer cidade, até em tua cidade.
Não existe luar, a noite está escura,é minha sina
o amor que antes existia acabou, a vida nos ensina.
Mas ainda quero neste mundo acreditar,
Preciso do teu amor e carinho menina,
que não se encontra em qualquer esquina,
muito pouco a mais a declarar.
Será que o amanhã terei ?
Hoje é o amanhã de ontem.
O que mudou no meu horizonte?
Eu a tinha cada vez mais distante.
Para que valeram estes meus escritos?
Se como aqui descritos,
meus braços esticados e projetados
em duas paralelas na forma de abraço,
já não mais a encontravam nem no infinito.
Cada gota de lágrima por mim derramada
é numa esfera perfeita transformada
ia rolando pela vida ao seu encontro
enquanto não secava meu pranto.
Que seja este meu último fracasso.
Deixo aqui o meu mais fraterno abraço.
Lembrança do teu eterno Palhaço.


 
Ofside
Enviado por Ofside em 07/11/2006
Reeditado em 20/02/2014
Código do texto: T284276
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ofside
Rio Claro - Rio de Janeiro - Brasil
1661 textos (84703 leituras)
38 e-livros (808 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 11:09)
Ofside