Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minha alma abriu-se

 do mote  "minha alma abriu-se"  do poema de Sebastião da Gama


Não vendo a minha alma.
Nem a minha janela,
que se abre nela,
feliz e contente.
Porque é tão belo, o que avisto dela!
Paraíso vibrante,
vida latejante.
Que nos torna gente.
e jamais posso, conviver sem ela .
Esta minha janela, que é de minha alma,
segura me pega.
Não vá eu querer, voar com ela!
no paraiso entrar, e ficar por lá.
Que  coisas tão belas, se avistam dela.
Coisas lá de fora.
Deslumbramentos....
Encantamentos....
que é do coração a sua agitação
e preciso dela.

De tetita
Dia 15 -09-2007

segue o poema do grande escritor:
 Janela aberta (minha alma abriu-se)

*
Minha alma abriu-se…
Que linda janela
Que é a minha alma!
Não! Linda não é ela:
Lindas são as vistas
Que se avistam dela.
*
Que ouvidos tão finos
Que tem a minha alma!
Não! Finos não:
Finos são os cantos
Que os pássaros cantam,
Meus ouvidos ouvem.
*
Como são tão belas
As coisas lá por fora!
Minha alma em tudo,
Em tudo se demora.
*
Que ouvidos tão finos!
Que linda janela!
Quem me compra a alma?
Quanto dá por ela?
*

Do livro “Cabo da boa esperança “
De: Sebastião da Gama

Proposto por Tetita

Tetita
Enviado por Tetita em 16/09/2007
Reeditado em 16/09/2007
Código do texto: T654499

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tetita
Setúbal - Setúbal - Portugal
1397 textos (80139 leituras)
65 e-livros (5625 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/08/17 06:35)
Tetita