Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

o dia quase não passou

ficou com medo de que a quiromancia
abrisse os braços e dissesse
vem
será que tem alguém
ou não tem?

a cigana no mato,
ficou com medo de que ela o chamasse pro ato
de ler sua mão
deitasse com ela no chão
que muita poeira contém

ficou com medo de que o bruxo
teimasse em botar no seu bucho
desejos que fossem tão sórdidos
mas tão doces de preservar
também

ficou com medo do ogã
do que ele dissesse amanhã
quando o dia saísse
se ele então assumisse
que nada se encontra no além

ficou com medo do sapo
que não quis comer jenipapo
sem antes zombar do seu trapo
dizendo-lhe que não se vestia
bem

ficou com medo do padre
andando todo de preto
saindo apressado com balas,
bolos, bebidas e beer
que fora comprar no armazém

ficou com medo do dia
da maravilha que tem


Rio, 29/08/2007
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 21/09/2007
Código do texto: T661597

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6796 textos (147451 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 10:43)