Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Encontro de amigos (trovas)

Encontro de amigos (trovas)
(Volnei&adria)

Minha amiga fique quieta
E não diga mais bobagem
Eu venho cantar contigo
Pra isso eu tenho bagagem
Eu sou filho dos pampas
Sou um cara de coragem
Se não te ganhar no verso
Te, ganho na malandragem.

Me, ganha na malandragem.
Isso é bem fácil de se dizer
Podes ser um bom trovador
Mas comigo tu vais sofrer
Sou mulher e sou de fibra
E bem depressa vais correr
Quero te ouvir dizer ao povo
Que apanhou para aprender

Eu apanhar para aprender
Isso ainda não aconteceu
Cada tapa que tu me deres
E um beijo que roubo teu
Não existe mulher no mundo
Pra contar que me bateu
Tu precisa nascer de novo
Pra cumpri o que prometeu

Pra cumpri o que te prometi
Eu cumpro minha promessa
Muito homem botei pra correr
Se por caso isso interessa
Tu não será o ultimo homem
Que correrá bem depressa
Na hora que eu pega pesado
Vais dizer que ta com pressa

Jamais digo tenho pressa
Eu não tenho porque correr
Só corro para teus braços
Só pra te ouvir me dizer
Me, leve contigo gauchinho.
Pros campos do bem querer
Na terra fria de teus pagos
Contigo eu quero viver

Se, quero contigo viver.
Não me faça dar gargalhadas
Com tanto homem por aqui
Me, sinto bem acompanhada.
Não preciso de um, calça larga.
Com esta sua cara debochada
Querendo me fazer a corte
Se de mulher não sabe nada

De mulher eu não sei nada
Tais, muito mal informada.
Entendo muito de mulheres
Mas não fiques admirada
O que uso não e calça larga
E bombachas sua oxigenada
Morena se fingindo de loura
Andando por ai disfarçada

Jamais andei disfarçada
Pois sou loura de verdade
Eu nunca pintei meu cabelo
Pois pra mim e só vaidade
Dizem que nós somos burras
Isso não passa de maldade
Mais se queres pinto o cabelo
Só pra ti sentir saudade

Só pra mim, sentir saudade.
Isso jamais vai me acontecer
Pois na hora que eu me for
Ir comigo sei, que vais querer.
Não adianta me olhar deste jeito
Lá no meu rancho tu vais viver
Tenho certeza que queres ir
De mim não podes mais correr

Certo de ti eu não vou correr
Só vou contigo numa condição
Viver sem brigas sem ciúmes
Pra ter paz no meu coração
Quero ser mãe de teus filhos
E ser amada com paixão
Estas são minhas exigências
Se aceitas aqui tens minha mão

Querida eu aceito tua mão
Nada mais eu tenho a te dizer
Aceito tudo o que quiseres
Em nome deste bem querer
Quero teus lábios teus beijos
Teu corpo pra me aquecer
Suas exigências são poucas
Eu as aceito com maior prazer

Já que nós nos entendemos.
Faça tuas malas e vamos partir
Pois a estrada e muito longa
Por isso não se demore pra sair
Meu cavalo logo esta pronto
Para o nosso caminho seguir
Como eu só tenho um cavalo
Na minha garupa, tens que ir.


Volnei&adria

Pelotas&Coritiba: 16/04/2006

é apenas uma brincadeira entre amigos
a minha amiga (adria) hoje mora em Coritiba
mas é gaucha de Pelotas assim como eu.
as dificuldades as vezes são muitas,
por conta das distancias, mas a net torna
as coisas mais faceis nos dias de hoje
por isso eu (adria) podemos vazer esta
bricadeira de amigos....









Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 16/04/2006
Reeditado em 16/04/2006
Código do texto: T140182
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147473 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:32)
Volnei Rijo Braga