Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS PLANÍCIES DA IMENSIDÃO

À Sónia Princesa Imperatriz Borboleta Rainha nobre ser pelo qual sinto um enorme e muito belo carinho que aumenta a cada sol que se põe, a cada novo nascer da aurora
AS PLANÍCIES DA IMENSIDÃO

Fiz do céu e das estrelas
A minha mais nobre canção
Encontrei-te enquanto compunha

As planícies da imensidão

Lá onde mora a eternidade
Entreguei-te tudo quanto sou
Toda a minha interioridade
Em palavras que valiam mais do que isso
Valiam todo o ouro do Universo
Que esperava que aceitasses
Quando to dei
Sob a forma de um verso
A beleza de saber que estás lá
A cada sol que se põe
A cada nascer da aurora
Pois quando não te vejo ou sinto
A saudade no teu lugar mora
Coisas imensas sinto
Ainda numa nebulosa
Desanuviada
Na luz que brilha
No meu labirinto
A luz és tu
E as cores do quadro que pinto
Embrulhado no cobertor
Dos sentidos
Fico-me feliz como em nenhum outro lado
Quando sinto
Que estás comigo
Porque nunca serás feia
Mesmo que te sintas presa
Nessa tua teia
Porque a tristeza é mera figura de estilo
Que serve de mote a qualquer canção
Porque terás sempre um belo lugar
Onde estou
E n’

As planícies da imensidão
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 12/06/2006
Reeditado em 12/06/2006
Código do texto: T174299

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5078 textos (170361 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:22)
Miguel Patrício Gomes