Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poesia com a grafite nova

As coisas que se dizem novas
Não são tão novas assim:
Novas para você,
Não tão novas para mim...

E, então, seguem nossas vidas:
Minha, sua, até o fim –
Carbono para você,
Diamante para mim...

Mas... Sinto cheiro de rosas!
E eu nem tenho jardim...
Você é aquela flor
Que guardo, mas não colhi...

As coisas que se dizem novas
Não são tão coisas assim:
Novidade é, pra você,
Descobrir um pouquinho de mim...

E se eu não falei de outras flores,
Não importa! Eu nem tenho jardim...
Tenho a rosa que me cuida
Quando eu não cuido de mim.

Essa história se repete
Como muitas, todas, enfim...
Como a história das coisas
Que não são tão novas assim.

20 de dezembro de 2005

Para M. Peres ou Carinha de Boneca ou ainda Jennifer
Teco Sodré
Enviado por Teco Sodré em 21/12/2005
Reeditado em 21/12/2005
Código do texto: T88928

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Teco Sodré
Salvador - Bahia - Brasil, 38 anos
274 textos (12540 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:09)
Teco Sodré