Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CIRANDA "LÍNGUA" - Sussurros do recanto - Diversos autores

 CIRANDA "LÍNGUA" ....A DETH HAAK - SUSSURROS DO RECANTO...ERÓTICA...
SUSSURROS DO RECANTO... ERÓTICA!!!!
Dama Iluminada...

Poetisa das palavras rebuscadas no perfeito uso do vocábulo dando-nos adeus?? Não entendi nada. Da Arte no perfeito uso da palavra, lançando-se com desassombro
Na busca da expressão do seu mundo interior.. Tua literatura é algo que me arrebata. A facilidade que tens ao escrever é um dom único concedido a poucos, incluindo a semântica. Fiquei meio assim, pensei, é o começo do fim. Alguns coitados errantes não vêem nem o sol e o sal que jorram das dunas do seu lirismo e deságuam nas praias de Copacabana.. A sua poesia tem um sabor que nos faz ler-te com muito louvor! Sofreremos com a perda do conhecimento e da arte. As almas dos recantistas estão marcadas pelos seus lindos textos. Mas há uma verdade incontestável: uma lágrima de meus olhos verdes! Não tens que lamentar por nada...serás bem vinda em qualquer lugar...e por onde andar e lá deixar suas palavras, eu as buscarei para inserir no meu texto.. "No princípio era o Verbo"..Línguas...maneiras de soltar a palavra falada...escrita... Bendita a língua que escreves, malditos os que não a querem entender.. .Língua de Camões...nosso imortal poeta que pela língua se imortalizou e o feito de um povo eternizou...ainda hoje falamos a sua língua...A ahh...Mas as diferentes emoções que expressamos no tom da nossa voz...podemos dizer "Vem cá..." e ser uma ordem... Um ser de tamanha envergadura não deixa o vazio, pois sem ti esse Recanto perderia um pouco de sua vida. Amo tua língua e o que fazes dela: Não sei o que se passa!
Mas o ambiente é benéfico, mas entendem a língua universal... .Língua que desce no teu corpo em percurso ardente e molhado...colocando em actos, o que as palavras te disseram...Até chegar ao teu centro de prazer e te levar ao céu em delírios de amantes... Língua....Tudo isso...para tudo isso...serve-nos a língua... Amo teu poetar, amo tua ousadia poética, amo tua Língua e o que fazes dela: que a semântica, os semantemas e os lexemas jamais te calem, eles que se reciclem e aprendam contigo. Não mais lerei DETH Morrendo do prazer, que me obrigava ao dicionário procurar realizando a língua como ninguém.. Palavras tão diferentes que nem pensava achar. Deth personifica a língua, criando uma sonoridade poética de brilho próprio! Linguagem é a do brilho do sol! Ninguém obscurece. Línguas que muito falam, poucos ouvem, olham umbigos, sem ver o próprio... Recomendos são sempre bem-vindos. Mas se for para você um grande vôo alçar ... Não , não sei o que se passa, mas o ambiente é benéfico. Onde querida és... Nada pode mudar curso inigualável dos versos, saboreiam o linguajar dos mudos o drama dos surdos Mas entende a língua universal... Serei eu a primeira a te parabenizar, línguas que muito falam, poucos ouvem, olham umbigos, sem ver o próprio...M as não penses que serás do recanto esquecida vale para todas as línguas, vale para todos os gostos...Em nossos corações, iluminada estarás, apenas adormecida! Poderia ficar escrevendo...escrevendo até cansar sou por demais sincera, simples no escrever. Um percorrer de caminhos com muita emoção e sentimento, mas quero que saiba, antes de ir-se embora, que nas preliminares o imaginário seja afrodisíaco! Sutilezas...Ventos poéticos! Ó vento...traz de volta minha poetisa. . OH FILHA DOS VENTOS, tão forte e guerreira, que com a magia dos versos, nos leva para tantos lugares, que nossa vã inconsciência, não imagina encontrar... OH FILHA DOS VENTOS, amiga e faceira ,sopra seus versos em meus ouvidos, com a tua doce calmaria...Bem ti digo ó Poetisa dos Ventos! Essa sensualidade forte, este linguajar escandaloso, mexe comigo e como! Acho que sou encantada com LÍNGUA, tanto o apêndice da boca, como a do nosso vernáculo. Ainda acho que o dicionário não é, de jeito nenhum, o "pai dos burros". Você já viu gente burra consultar o dicionário? (...)Até que essa poesia , SUTILEZAS... Á LINGUA dedicada carinhosamente ao RAFERTY, eu não precisei consultá-lo! Será que você estava "normal" quando escreveu essa bela poesia? TO ME SENTINDO, COMO UMA FAMÍLIA, CUJA MANA DÁ DE LOUCA, E TODOS SOFREM... SINTO MUITO, MAS TU JÁ NÃO TE PERTENCES, ÉS NOSSA, E COMO TAL, FICARÁ PRA SEMPRE. QUEM PODERÁ ESCREVER UM TEXTO TÃO LINDO COMO ESTE... Provocante, delicioso, excitante. Um poema de rara sensualidade. SUTILEZAS... Á LINGUA. Esta pérola me emudece. Sinto algo no ar, meus olhos marejam. Minha boca está seca e minha língua trava. A Musa já tem seu lugar no Olimpo. RAFERTY...
Adoramo-te. Beijos poéticos com saudades..De você.



Amigos queridos, meu muito obrigado! SUTILEZA Á LINGUA, alcançou meu objetivo... Polêmica termômetro, a temperatura subiu os ânimos acirraram-se, e hoje estou convicta, que meu escrever rebuscado tem publico...A gosto para tudo. A poesia não esta na gramática e sim na emoção expressa !Eu faço as duas, sem falsa modéstia...
Proponho uma Ciranda LINGUA...Em todas suas funções. TEXTOS ENVIADOS A FADA DAS LETRAS, INUNDAREMOS O ORBE DE LAMBIDELAS
E SEMANTEMAS LÉXITAS, venham somar nesta linguagem... Beijos poéticos morrendo do prazer. Deth Haak 19/01/2006


DETH HAAK HAAK
Publicado no Recanto das Letras em 19/01/2006

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/100874

Sutilezas... Á língua


Abençoados sejam os que, bom uso fazem
De ti...As que percorrem os dorsos que alimentam,
Gostos sorvem gozos saboreiam vinhos,
Cursam esconderijos...

Línguas... Que margeiam corpos causando
Delírios desvairam... Bem ditas sejam!
Que na languidez abrangente, elevam libido
Ao te imaginarem...

Lascivas ó línguas! Não absolverão esse considerar,
Temperam misericórdias, não cessem jamais o viandar.
Á água não expurga língua que tributo, despautério
No meu declamar, cama areia monte ou no mar.

Línguas...Que empenham fendas devassando caminhos,
Na sede de amar. Provocando sussurros localizam
Os rumos no linguajar...Bem-Te-digo línguas.

Sutis... Carícias encontrando lábios
Desaguando alúmen em tórridos solos, perfurando
Poço ou em grutas profundas, a língua que verso.
Acordes das notas musicadas no toque. Por ti, ajoelham e rezam...

Línguas... Escutai a oração, se ao deixar,
Esse mundo, para ele retornar que seja com a sua,
Sonoridade poética revelada, adulada harmonicamente,
Revogada em línguas o orbe e em desatino a mente.Línguas...


DETH HAAK
20/07/2005


Línguas

Língua quente e molhada, que percorre, ousada
Percurso sinuoso, ardente, essa via que fascina
Corpo de cor dourada, sabor acre na madrugada
Misto de sal, amêndoa, café, especiaria rara e fina

Língua que terna e confiante se enrola em redor
Em doces e loucos toques que se vão intensificar
Para o paraíso vai arrebatar, com paixão e furor
Sedenta de licor, faminta de doçura e desejo saciar

Língua que em palavras ternas, plenas de carinho
Tons afectuosos, confiantes, conquistam os amantes
Demonstrando teu cuidado, tua amizade, o caminho
Para afagos, ternura, e essas inflexões acariciantes

Língua de Camões, estrofes heróicas eternas, imortais
Idioma de nossos egrégios avoengos, que mundo afora
A espalharam cantando, rezando, morrendo e amando
Com mistura de mel no país irmão, é falada ainda agora

Em meigas inflexões de tons doces e plenos de ternura
Que ora relaxam, enlevam, acalmam, ou exalam calor
Língua de poetas, que em suaves poemas dão a doçura
De palavras de sonhos, afectos, emoção, lendas e amor

Mas que dizer daqueles povos remotos, iletrados, ignotos
Que em sons de línguas estaladas se comunicam tão bem
Com a natureza aprenderam, com aves, vimos suas fotos
Em compêndios, filmes, na televisão, como nos convém

E ficamos a recordar os ensinamentos dos Livros sagrados
Quando Jesus disse: "Ide, falai e ensinai a todos os povos"
Nobre missão que deu a seus fiéis discípulos tão amados
E para a cumprir, deu o dom das línguas, e os fez renovos

E mais se poderia dizer, das línguas, esse órgão pontudo
Essa porção de terra que adentra uma baía, um rio, o mar
Mas como num simples poema, não cabe dizer ora tudo,
Já vai extenso, por isso o vou por aqui, agora já, finalizar.

Arlete Piedade - Fada das Letras
19/01/2006

Frango \"regional\"
Na escola aprendi o certo
É bom - o termo correto.
Nome
biforme explicativo!

No forno alcança
Alto grau de proficiência.
Ficará \"ótimo\"!
Superlativo absoluto sintético
Do que era \"bom\".
Radical!

Vai à mesa em posição obscena.
Afogueado! Rubra tez! Bojo farto!

Nem a categoria dos adjetivos
Deixa qualificado
O sadismo da fragmentação.

Lambo, então, beiços e dedos.
Um a um...\"Bão dimais\"!!!

Expressão de gozo
Fecundando a gramática
Sem prejuízo
Ao prazer e à sabedoria.

Zuca
20/01/06

Língua
ah! Essa língua!
língua sedenta
língua nojenta
língua felina
língua sangrenta
língua fofoqueira
língua linguaruda
língua mexeriqueira
língua mentirosa
língua trambiqueira
língua rancorosa
língua animal
língua banal
língua comprida
língua boçal
língua maldosa
língua venenosa
língua que não cabe na boca
língua que só fica de toca
língua que só fala besteiras
língua que só diz asneiras
língua de anzol
língua de besteirol
língua vadia
língua safada
língua babada
língua amada
língua molhada
língua encharcada
língua bonita
língua gostosa
língua de tesão
língua da paixão
língua que assobia uma canção
língua que lambe uma flor
língua que só fala do amor
escolhestes a tua?

Vincent Benedicto
20/01/2006


Dançarina erótica
se contorce pelo prazer
de buscas profundas
em cada ser.
Traça úmidos caminhos
sensuais destinos
no desejo de prover,
morna ou quente,
dengosa ou manhosa,
no comer, no beijar e ... no lamber!

Lia Zapata
20/01/2006

Língua

era tão ferina aquela língua,
que cortava
relacionamentos.

Kate Weiss

Banho de amor

Calor, desejo!
Magia, loucura...
Dois corpos
Um ato!
Entrega de almas
Num banho de amor.

EDU
20/01/2006
Abusada!
( língua)

Rosa Pena


Carnuda e alongada
pode ser bem ou mal usada.
Tímida ou ousada,
sempre porém, abusada.
Derrubou a Torre de Babel,
colou o selo no papel,
deflorou a noiva,
por debaixo do véu.
Para não falhar,
criou a ortografia.
Para amar,
usa a magia.
Tem vários idiomas,
e diversos sintomas.
Às vezes corta,
nem sempre é justa,
fala por detrás das portas.
O prazer degusta.
Doce,
amargo,
o mel,
o toque na outra boca,
lá no teto do céu.
Introdução,
da sensação
louca,
percorre corpos sem roupa,
emite o som dos gemidos,
mas fica escondida
na perda dos sentidos.
Que seria do amor,
sem os ais pronunciados?
Lábios sedados,
final da linha.

setembro de 2003
Livro Pretextos/Rosa Pena


Língua e pensamento

O pensar dá à língua o bom paladar ou o pior gosto

Este a faz lamber de emoção

Faz mesmo o membro disparar como um canhão

Nos mata a sede ou nos faz sentir da vida desgosto

se em vez de encontrar vulcão lavadinho

Lambe nas redondezas

Vai encontrar o vizinho sujinho

Língua sabe lamber o que o pensamento imagina

Mas é o pensar que está a sugar

O pingarelho da vagina

Língua pode estar suja, do pensar

Mas não há agua que a possa lavar

Só pode ser limpa pelo esquecimento

De tudo que lambeu no momento

Língua pode-te por em apuros dizendo maus palavrões

Quando em ti o pensamento tem mas intenções

Pensamento e língua quando entram na fenda da vida

ficam insanas de razão perdida

a língua e indispensável para manter nossos amores

olhos para gostar da formosura

pensamento para oferecer as mais lindas flores

o conjunto carrega o canhão, este descarrega na fechadura

amigos pensai um momento no que vos digo

a língua pouco vale sem pensamento

mas com ele, chama-lhe um figo


por Armando Sousa

armando.sousa@sympatico.ca

Essas línguas

As hipócritas,
belas sob certa ótica.
As ferinas,
assassinas.
As amaldiçoadas,
mal amadas.
As discretas,
dos poetas,
As vibrantes,
desconcertantes.
As silenciosas,
teimosas.
As indígenas,
alienígenas.
As amantes,
vibrantes.
As imorais,
são fatais.
E a minha,
sozinha.
À espera de outra.

Maurélio Machado
20/01/2006

COLORIDA FALA...

Bela língua florida
nas formas
da flor

Bela língua florida
nas palavras
de amor

Bela língua florida
nas imagens
com cor

Francisco Coimbra
20/01/2006


Sentidos da Língua

LuliCoutinho

Saúdo-a em boca entreaberta!

Mostrando-se esperta e lépida,

Sentindo os sabores da espécie,

Degustas o suor da pele tensa,

De um corpo em torpor.



Desperta-me o sentido do desejo

Quando lambes minhas pétalas,

Doce rosa escondida,

Que te anseia sem pudor.



Caminha! Neste corpo de malícias,

Proclamando-o em delícias,

Moldurando-o em volúpias,

Disfarçando a rubra cor.



Penetra-me!

Sinta o gosto do pecado

Sejas lenta e delicada!

Neste céu, luzes, estrelas,

Faze delas a orgia,

Desabroche minha flor!

21/01/06

http://www.lulicoutinho.prosaeverso.net

A Língua em sôneto inglês

A língua como verso sagrado
Que é fruto da coragem sacrossanta
No tom da procura, um agrado
Sem segredo, ato delicado

A língua que transforma em sentimento
Versos e sílabas, o som em alento
Encantado, que permite a recompensa
De quem pensa no êxtase da cor

A língua que é viagem "sarracena"
Dos sátrapas que encantam a multidão
En saturnais festejos, a sedução
Das cantilenas e dos madrigais

E nos saraus é presença certa
Em que poetas versejam à hora incerta

Calaf
21/01/2006

Ciranda a Língua

A língua é poderosa
Ama ardente,
Ou mata a míngua...

Regina Lyra
21/01/2006

LINGUA ESQUISITA

Lauro Vitor é um menino bonito, inteligente e muito paparicado. Ele está sempre na cozinha, vendo sua mãe fazer flores de massa.
Sua alegria é pegar o rolo de macarrão e “ajudar” um pouquinho.
O menino fica ali por perto e sua mãe sempre fala:
-Venha cá, meu amor, que eu vou te “esgulepar”!
-Ele larga o que está fazendo e vai correndo, com os bracinhos abertos, para ganhar um abraço, bem gostoso, de quem muito ama.
Numa tarde em que a dona-de-casa estava trabalhando, o guri perguntou:
-Você quer o "esgulepo"?
-O quê, Lauro?
-"Esgulepo".
-O que é isso, meu filho?!
-Ué! O pau de abrir a massa, mamãe!

Anna Célia Curtinhas
http://annacelia.multiply.com/

Língua



Pequena fração do corpo

Usada para sentir o sabor

E nos momentos de emoção

Despejar ódio ou amor.



Quando a mente está em paz

A língua transmite belo verso

Mas se o pensamento é amargo

Seu tom magoa o universo.



A cabeça armazena explosivos

A língua é um mero gatilho

Quando o atrito se faz presente

Ela funciona como rastilho.



A voz que então é produzida

De signo torna-se um carma

E o mundo se estiver atento

Sucumbe diante desta arma.


As letras são as balas do povo

A palavra, o poderoso canhão

Se o tiro vara a mosca no alvo

Modifica o destino da nação.


Haroldo P. Barboza – jan/2006

Autor do livro: Brinque e cresça feliz


POETRIX LÍNGUAS

Línguas apaixonadas,
passeiam de mãos dadas,
em céus de bocas molhadas!

PCoelho

21/01/2006

Língua poderosa
Sueli do Espírito Santo


Oh! língua como és altiva
quando és ferina amaldiçoas
também bondosa abençoas
tudo depende de sua saliva

agradas todo tipo de paladar
desde o amargo ao mais doce
e no doce quero me esbaldar
como se uma gulosa fosse

Ah! língua, poderosa e maliciosa
em ti fico aqui só a imaginar
como és gostosa na preliminar

Para o ato sensação deliciosa
que a nossos corpos vem trazer
até delirarmos de puro prazer...

http://www.sue2001.recantodasletras.com.br/



LÍNGUAS SÃO ANTENAS APONTADAS A SINAIS


Nas cobras, elas são o faro



Na Pátria, fator de unidade



No homem, prazer ou destruição



Denise de Souza Severgnini


CIRANDA - Línguas de Fogo
Línguas de fogo percorrem,
Corpos amados até á exaustão,
A minha na tua é pura sensação!

Resolvi por em palavras e dá-las,
O que penso da ofensa á língua,
Pecado mesmo: É não beijá-las!

Língua é instrumento,
De bom entendimento,
Mesmo em linguas diferentes,
No toque do beijo tu sentes!

Jorge Aílton


LÍNGUA DE BABEL


Eia, edifiquemos uma cidade e uma torre que toque o céu

Lhe daremos um belo nome para não ficarmos ao léu

Mas Deus fez uma visita e não gostou do labéu

O povo é um e têm uma só língua!



Eia, confundamos: mudem a língua, o linguajar!

Homens se espalhem por todo lugar

Muitas línguas todos vós hão de falar

Correram sôfregos, todo o povaréu

E a língua desuniu e virou Língua de babel



língua de minha pátria idioma mais cantado

Língua sintética, cibernética, ética

Língua suja, língua fétida

Língua dos Santos, que o diabo também tem

Língua quente, labareda envolvente

Língua que soa, entoa, encanta a gente

Língua que tropeça, erra, se inflama

Língua soberana, tens o poder da paz e o poder da guerra.



Língua que se mexe e me molha...Erótica

Língua que tem o gosto da boca

Língua do pensador, do filósofo, do poeta, do cantor

Língua afiada das mães que ensinam os filhos

Dos mestres tem outro sabor

Língua rebuscada da literatura formal

Língua falada por tribos clãs, greis e gays,



língua comprida da vizinha, da cobra e dos camaleões,

Língua de trapo, de farrapo, do sapo e do linguado

Língua do falastrão, da oração, do falatório

Língua da linguagem, da coisa séria e da bobagem

Língua do linguajar, do modo de ser, de falar.



Nervo da língua, lingual, órgão bucal,

Língua que irrita e provoca gesto igual

Língua da fofoca, do mal, da maledicência

Linguareiro, indiscreto e linguarudo

Tem saliva, liquido, transparência



Lingüeta, língua pequena, lingüinha

És rampa de cais, peça de fechadura

É a língua do tirano que fere, linha dura

Língua do paladar, do dialeto, do popular

Língua do falar, do lamber, do beijar



Língua francesa – langue

Língua inglesa – language

Língua espanhola – lengue

Língua portuguesa – a minha.

Linha japonesa, shita

língua germânica, sprache



Língua dos mudos, dos surdos

língua dos cegos, em braile

Corpo carnudo, alongado e móvel

Língua talentosa, poderosa, generosa

Língua mole, infiel, impura

Língua de Deus, criador e criatura

Meg Klopper


OBS.: A citação EIA e Babel referem-se ao livro Bíblica Gênesis, 11: 1-9.


NOVO SITE - ME FAÇA UMA VISITA
http://www.megklopper.recantodasletras.com.br/

   
Participantes até ao momento presente.


Esta Ciranda será igualmente publicada no site “O Dono da Loja” – http://www.ferool.info, depois de completa.
Aguardo as vossas participações, que poderão incluir mais que um texto, até 31 de Janeiro, para os meus emails: arlete.daniel@clix.pt    (Portugal)
ou fadadasletras@yahoo.com.br


Fada das Letras
Maurélio Machado
Enviado por Maurélio Machado em 22/01/2006
Código do texto: T102256
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Maurélio Machado
São Bento do Sul - Santa Catarina - Brasil
7710 textos (1652096 leituras)
2 áudios (1128 audições)
88 e-livros (6117 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 10:45)
Maurélio Machado