Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Luz Guia

De cantos alegres regorgitam
As vestes secretas de fuligem
Engasgos e espasmos, felicidade?
Movimento tão liberto de si
Ama amar o amor
Doa a carcaça sem exitar

Repara nos cantos, alegres?
O carvão jaz no chão
Tosse, doença, solidão!
Liberdade aprisionante
Níveis elevados de amor contido
Não há mais a quem dar

Esbarra então e fica atordoado
Como que no meio de caos
acha sua bússula, magnética
Termina seu fim, o começo
Começa

Inicia seu galgar, sem rumo
Enxergando tateando ouvindo
Guiado, contudo, conduzido
Pela alvura e seus cachos
Doces como uvas?

Não alcançava, temia, tremor!
Dormia, balançava, suor
Escorria
Derretia
Pelo trançado do ralo
Driblando o querer
Conduzido, empurrado
abaixo

Agitado, acordou
Molhado, ensopado
Desejoso
Uma conquista
Sairia do buraco
Onde estava o rumo
PrOnde estava o caminho
Perguntava-se
Onde está a magnitude?
Óh amor, castigante.

leandroDiniz
Enviado por leandroDiniz em 08/02/2006
Código do texto: T109242
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandroDiniz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 34 anos
260 textos (273033 leituras)
3 e-livros (430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:21)
leandroDiniz