Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONVIDANDO PRO BANHO!

Na internet(msn), naquele dia,
Ela chegou diferente,
Esqueceu de dizer boa tarde,
Disse assim: Saudades, ciúmes...
Estou no trabalho, correndo, sala cheia de gente,
Tudo aqui cheira a fumaça.

Nesse momento, tive uma idéia,
Uma idéia perfumada...

Convidei pra um banho de banheira,
Com espuma, pétalas de rosas, depois do expediente,
Fiz uma brincadeira e ela aceitou prontamente,
Marcamos lugar e hora.

Pronto, o meu dia de trabalho acabava ali,
Não conseguia mais me concentrar,
Fechei o computador, dei uma olhada na barba,
Comprei rosas e fui ao encontro dela.

Cheguei quinze minutos antes, mas ela já me esperava,
Abraçou, beijou-me a face e pediu desculpas pelo cheiro,
Logo depois confessou-me, estava mesmo ansiosa,
Doida pra ir embora, sair daquele lugar,
Para ficar ao meu lado.

Entreguei as rosas, ela sentiu o perfume,
Abraçou-se com elas, coisa bonita de se ver!
Fomos então andando beirando a praia, conversando,
Nem eu, nem ela, conseguíamos esconder nossas vontades.

Começava ali um duplo cortejo, ela sorria...
Eu respondia com um leve abraço.
Chegamos então em um hotel, de frente pra praia,
Entramos, pedi uma suíte com banheira de hidromassagem.

Estávamos meio como sem acreditar,
Ficamos por uns dez segundos em silêncio,
Pra descontrair, coloquei uma música romântica,
Pedi um vinho suave, era a preferência dela.
E fui colocando a banheira pra ir enchendo d’água.

Enquanto isso ofereci uma taça de vinho,
Trocamos olhares, brindamos, convidei pra banheira. Desabotoei-lhe a blusa, botão por botão olhando nos olhos, pude senti seus pelos arepiados, tirei a saia, linda por sinal e fomos...

Coloquei sais, perfumes, algumas pétalas das rosas,
Ela tirou o sutiã e a calcinha, era mesmo a coisa mais linda!
Entrou, liguei a hidromassagem, despir-me e fui pra junto dela.

Estávamos calados, ofegantes, atônicos talvez...
Minhas mãos acariciavam seus cabelos, a face, chegava então, a hora do nosso primeiro beijo. E que beijo!!!

Desliguei a hidromassagem, para escutar o silencio, a respiração e tudo mais.
Passeei com meus dedos em seus seios, que se enrijeceram de pronto. Fui massageando-lhe pescoço, as costas, ela relaxava e meio ao silencio, podia ouvir, alguns sussurros.

De repente, ela estava por cima de mim,
Com a cabeça apoiada em meu peito,
Ficamos assim, por um bom tempo,
E lógico, muito beijos...

Percebi que a água da banheira,
Começava a se movimentar,
Por conta de um suave atrito,
Do seu corpo ao meu,
Entre sussurros e beijos, fomos tomando o vinho,
e de afagos nos desejos, fizemos com que as águas se mexessem... Mexessem cada vez mais!

Foi um banho inesquecível, durou umas duas horas pelo menos,
Ela foi pra casa linda, perfumada, uma outra mulher!
Eu já pensando no dia seguinte,
Torcendo pra mais um dia de sala cheia, muita fumaça...
Motivo, pra um outro convite!
paulo cesar coelho
Enviado por paulo cesar coelho em 17/02/2006
Reeditado em 20/02/2006
Código do texto: T113069

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
paulo cesar coelho
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
2587 textos (469410 leituras)
57 áudios (6063 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:32)
paulo cesar coelho

Site do Escritor