Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0596 - Prazer




Ouço um gemido suave do lado direito da cama,
sinto que o calor incendeia e vai até a alma,
perco os sentidos por um momento,
os desejos invadem, provocam como pecado,
volto e deito suave sobre o outro corpo.
 

Toco devagar sua pele, deslizo entre os seios,
arrasto minha cabeça sobre seu colo marcando suave,
entorpecida já não ouço seus pedidos,
a boca entreaberta espera o primeiro beijo,
a língua sobe devagar marcando de saliva seu caminho.


O tempo é quase inexistente, não têm luz,
sombras despidas se multiplicam entre si,
da pele escorre líquidos e se misturam aos cheiros,
um tom vermelho aparece sob as palmas das mãos,
o gosto doura os lábios como se lambuzados de mel.


Acontecem pequenos urros quando penetro alucinado,
não sei a dimensão de nenhum céu, sei que quero ir,
os braços prendem o outro corpo como se fosse fugir,
demarco meus caminhos dentro do seu sexo úmido,
acolhe-me enquanto suas pernas se prendem as minhas.


As respirações sufocam pequenos gritos,
algumas luzes, milhares de relâmpagos aparecem,
os beijos mais profundos vão até o céu da boca,
todos os aromas e sabores são agora percebidos,
contemplamos o outro como deuses em um altar de ouro.


Volta o silêncio, os corpos recolhem saciados,
enquanto dividem olhares ainda com brilho de prazer,
escorrem entre as peles e dobras líquidos mornos,
palavras de carinho correm o quarto como luz quente,
as imagens saem das sombras para um último beijo de amor.


20/02/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 20/02/2006
Código do texto: T114095
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116250 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:23)
Caio Lucas