Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0622 - Templo




De repente um templo, uma lua,
um sentimento que não existia,
desde quando te imaginava assim,
hoje aprendi que não preciso palavras.


Seus olhos falam de você,
foi quando minha imaginação voou,
as mãos foram até seu corpo liso,
sem pedir, tomei sim as carícias.


Quero ficar por perto,
quando acordar, quero ser manhã,
antes serei o silêncio, os sonhos,
até que amanheça seu.


Não te quero apenas a noite,
levo vida para sua vida,
estes não são sonhos
para sentir só as vezes.


Entro em seu templo, seu corpo,
busco realidade,
até que me tome de paixão,
um dia, em uma manhã depois do amor.


13/03/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 13/03/2006
Código do texto: T122557
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116242 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:52)
Caio Lucas