Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A outra metade

E Você...

        Deve estar por aí, recebendo flores de alguém que nem sei.
        Escrevendo coisas em seu diário que nunca lerei.
        Tornando realidade para os outros, os sonhos que eu sonhei.
        Admirando-me nos outros pelas coisas que tentei.

E Você...

        Que eu nem conheço, que eu nem sei quem é ou como é. Pois é, se eu a conhecesse talvez fossemos amigos.
        Tenho tantos planos, foram tantos desenganos.Pensei que você havia chegado pra ficar e no entanto você se foi, pra minha desilusão.

E Você...
        Não era você, mas cade você?
        Procuro tanto por você...
        Que gosta das Flores,
        Que precisa ser rômantica,
        Que ama os animais,
        Que procura a natureza,
        Que entende o silêncio.
        Louca a ponto de conversar com sí própria, como eu, como você.

E Você...

        Cade Você?
        O que foi você?
        O que é você?
        O que será você?
        Passagem momentânea que ficou, que vibrou, que deixou marca.
        Cheiro de chuva caindo na terra, descendo na serra.
        Sinto-te no ar, mas não posso pegar, tocar. Não sei como me aproximar, nem mesmo onde você está.

E Você...

        Que podia dar um jeitinho, assim como quem não quer nada, se chegasse, se aproximasse e me comunicasse, que está aqui.
       Prefere permanecer incógnita.Sua face, seus olhos, sem vida própria, sem enlace. Comigo, sem mim, permanece assim...

E Você...

        Que é tanto e sem nem tanto, caiu o manto e se condensou.
        Forma, deforma, transforma, nesse ciclo rouba a forma que eu queria ter pra você, pra mim, tanto faz, pra nós.

E Você...

        Que eu procuro por todo lugar;
        Que eu vejo no ar;
        Que eu imagino no mar;
        Que eu não encontro no lar;
        Que não é ser nem estar;
        E eu não sei onde olhar;
        Só sei que quero Amar!

E Você...

        Onde está afinal?
        Onde encontrar um sinal?
        Parece-me tão anormal procurar você que é minha, é muito minha, é sua, nesse antagonismo do "EU".
          Todo cheio de brilho, sigo e trilho assim meio furta cor, roubando um pouco das cores que admiro e que de alguma forma me influenciaram.
        Vou meio assim sem personalidade, levando o que não considero dor, mas que bate e rói como o amor.
        Mas onde está você, que eu procuro com tanta intensidade.
        Nos lugares que fui ou que imagino estar...
        Dentro e fora das cidades.
        No espaço, no vácuo...
        REVELE-SE " OUTRA METADE"
Ramaty
Enviado por Ramaty em 18/03/2006
Código do texto: T124738

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ramaty
Campinas - São Paulo - Brasil
60 textos (8303 leituras)
3 e-livros (18342 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:18)
Ramaty