Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Entranhas

Entranhas que bela barganha de vicissitudes
Tamanha que até arranha a mais bela façanha
Do amor como a flor que povoa o jardim coração. 

Em mágica emoção no canteiro do vai e vem fluidificante
No recorrente postergar do sêmem a regar o caminho
De uma nova vida... De um novo existir fruto do burilar.

A permitir exalar o perfumar no cada vez amar a saciar
E ao inebriar anestesiar o acasalar como o sumo
A perpetuar e extasiar o lacrimejar a olhar o frutificar. 

Permitido as nossas entranhas que jamais serão estranhas
A testemunhar artimanha do eterno renovar do dia que faz cria
Na melodia da mais linda alegria do nosso ilimitado imaginar
A enamorar o partilhar do sempre se continuar namorar o amar.

Julio Sergio
Recife-PE.
Julio Sergio
Enviado por Julio Sergio em 21/03/2006
Reeditado em 28/07/2009
Código do texto: T126294
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Julio Sergio: www.poesiasjuliosergio.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Julio Sergio
Recife - Pernambuco - Brasil, 61 anos
522 textos (121048 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 18:09)
Julio Sergio

Site do Escritor