Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0647 - Almas




Minha alma amanheceu estrada,
tenho rastros entre a pele e o coração,
também noites com trilhas marcadas,
mãos calejadas de carregar sonhos,
nos ombros o peso dos anos, todos,
na boca um gosto puro do beijo,
até que acordei e não a vi do meu lado.


Te caço no brilho dos olhos da lembrança,
vejo sorrisos puros, risos de contentamento,
também enxergo o céu ali perto, é amor,
posso tocar seu rosto, é verdadeiro como o meu,
não me tenha como motivo da lágrima,
dou amor, atenção, carinho que move seu espírito,
até que as almas levantem e voem... até um lugar.


Deixo que sonhe com abraços, carinhos, paixão,
vejo em seus olhos o amor que um dia jurei possuir,
tenho que aprender, não só amar, a cultivar este amor,
olhar cada pedaço do universo e comparar, mudar,
seguir firme minha estrada, fazer nossa,
até sentir que possa ler seus olhos que falam de amor,
ensina-me mais, enquanto te amo e minha alma caminha.


05/04/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 05/04/2006
Código do texto: T134229
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116251 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:42)
Caio Lucas