Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0656 - Da solidão




Fechei os espaços vazios do tempo,
apaguei a luz,
perdi a vontade de sonhar,
gritei por um outro amor,
até a solidão se despedir.


Voltei a sentir os lábios,
o gosto adocicado do pecado,
lavei o rosto triste
como se banhasse a alma,
voltei a enxergar amor.


Ainda é madrugada, o sono não vem,
meus pensamentos viajam
a um outro lugar,
meu corpo caminha aos pedaços
em um sonho quase real.


Faz-me ir de volta a vida,
traz o amor,
não importa o tamanho,
mostre-me um céu qualquer
antes que os olhos fechem.


Quero uma luz,
um caminho,
um desejo mesmo que pequeno,
a ilusão de um amanhã
e os pesadelos no ontem.


Não me faça sofrer, peço,
para existir quero amor,
o som do carinho nos ouvidos,
a boca dizendo da paixão,
na memória, um novo começo...


12/04/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 12/04/2006
Código do texto: T137839
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116244 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:50)
Caio Lucas