Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PRISIONEIRA DO AMOR

Em momento algum lhe culpo meu amor
Por ter me encarcerado em seu afável coração
Fazendo-me lhe querer dia e noite neste clamor.

Eu adentro em sua alma e nela sou prisioneira
Dos seus sentimentos, que me deixam perdida em ti
Sem forças para renunciar os mais íntimos desejos
Permitindo-lhe que me ame sem barreiras.

Porque sinto prazer ao enredar-me em seus braços
Enlouqueço ao saborear a ardência dos seus beijos
Percorrendo meu corpo com a meiguice deste agrado.

Você não é culpado por esta prisão, culpo a mim!
Por ter dado abertura para este amor desmesurado
Que invade minh’alma deixando-me amar tanto assim.

D.A.R
Uma Mulher Um Poema
Enviado por Uma Mulher Um Poema em 13/04/2006
Reeditado em 17/04/2006
Código do texto: T138607
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Uma Mulher Um Poema
São Paulo - São Paulo - Brasil
2885 textos (497077 leituras)
75 áudios (27394 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:20)
Uma Mulher Um Poema

Site do Escritor