Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A GEOMETRIA DO AMOR


Quero deitar-me ao teu lado
Como duas retas paralelas
Que se encontram no infinito
E traçar-te uma perpendicular
Em teu ponto médio
Para formarmos uma cruz
De braços ortogonais
Que se cruzam com fervor
No mesmo ponto de luz

Quero recostar-me em tua hipotenusa
Para envolver-me no ângulo aberto
Dos teus catetos arfantes
Para traçar-te uma bissetriz
De segmento infinito
E tocar-te o ângulo reto

Vamos unir nossos triângulos
De vértices opostos
E gerarmos um polígono
Em forma de estrela amante
Com seis pontas inteiras
E doze lados pequenos
De cujo ponto em comum
Partem os raios externos
De círculos concêntricos
Que vão colorir o conjunto vazio
De pontos e linhas, retas e planos.

E o universo inteiro – que era vazio
Tornou-se a origem de um rio
Que flui para frente e adiante
E volta ao mesmo ponto inicial de antes.
Pedro Ernesto Prosa e Verso
Enviado por Pedro Ernesto Prosa e Verso em 22/04/2006
Código do texto: T143615
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Pedro Ernesto Prosa e Verso
Fortaleza - Ceará - Brasil
439 textos (8782 leituras)
1 e-livros (6 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:15)
Pedro Ernesto Prosa e Verso

Site do Escritor