Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SUPLICANTE


juiz de meus atos,
censor de meus pensamentos,
crítico de minhas palavras:
amo-te de qualquer jeito!

reprovando o que faço,
condenando o meu pensar,
desmentindo o meu dizer:
amo-te de qualquer jeito!

o fogo da tua inquisição
preserva-me a alma, incólume.
a paixão grita em meu peito:
amo-te de qualquer jeito!

censurada, reprovada, condenada...
ainda que eu te aborreça,
mesmo que enlouqueças:
ama-me de qualquer jeito!
Rosane Coelho
Enviado por Rosane Coelho em 23/04/2006
Código do texto: T143830
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosane Coelho
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 63 anos
883 textos (38951 leituras)
1 e-livros (108 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 02:38)
Rosane Coelho

Site do Escritor