Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VERSOS SEM MÉTRICA

Talvez os anjos não falem
Talvez o mundo se acabe
Talvez minha letras se apaguem
Talvez meu pranto desabe

A sua pessoa é assim
Atrai este poder para mim
E mantenho pacifista os detalhes
De quem te vê sem motivos

Racionais e puros sem mais
Tê-la ao menos um momento somente
É a esperança de um cego demente
Que enxerga só o que quer

Bonita demais. Oh céus
Omito a minha razão
Consegue deixar desregulado
Um jovem poeta encantado

Provar através de seus versos
Numa vontade modesta:
Beijar-te a boca,
de lado ou na testa

E assim poder repassar
um desejo reprimido
Desse excesso contido
Guardado somente pra tí

Sou um besta não nego
Excedo as inspirações
Maltrata e castiga anseios
Provoca-me mil ilusões

O castigo construiu
E na mente permanece
Contínuo ele só cresce
E novamente se estabelece

Numa vontade cretina
Humanista  e motivadora
Ela é sempre vindoura
Quando tua imagem renasce

Não sei como livrar-se
Desse sentimento desigual
Meus modos podem se cordiais
Porém meu afeto é imoral

Sou honesto
Singelo modo de agir
Gosto de tua presença
Mesmo que queira partir

Guardo-lhe minha esperança
E modo perante as estrelas
Levo-te na minha riqueza
E até na maior das tristezas

Seria meu dom
e minha rima.
Meus acordes
Sim, possuíram estima!

A Inspiração verdadeira
é sua feição desigual
Motivada numa sereia
De uma época Feudal

Trabalhada por mil dias
Sem domingos de descanso
Deus recrutou milhões de anjos
E assim começou seu trabalho:

Outros mil operários
Velariam tua gestação
E tua mãe com certeza
Não sofreu privação

Da maior benção criada
Sem juízo até então
"uma bela menina!"
Deusa de um Zé bobão

Que escreve sem motivos próprios
Não quer ter razão para tê-los
Sua maior razão já existe
Somente para lê-lo
José Luís de Freitas
Enviado por José Luís de Freitas em 23/04/2006
Reeditado em 15/06/2011
Código do texto: T144131

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Luís de Freitas
Diadema - São Paulo - Brasil, 32 anos
466 textos (177602 leituras)
28 áudios (28251 audições)
1 e-livros (111 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:42)
José Luís de Freitas