Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Confissão


Preciso confessar-te uma coisa,
Que me é importante como a vida:
Amo-te, e este amor me ressuscita,
Tal como a Fênix, que renasce das próprias cinzas.

Desde o momento em que te conheci,
Algo de bom nasceu aqui em meu peito,
Era a esperança, que jazia, moribunda,
Afogada no mar de todas as minhas tormentas. 

Foste a calmaria e serenaste as ondas,
Antes bravias, como querendo arrasar-me!
Num temporal de tristezas imensas,
Foste o farol, com tua luz redentora!

Ah, como é bom amar-te sem temores,
E receber de ti o mesmo amor, que se renova!
Como se fôssemos um só, em corpos separados,
Mas, que sozinhos não podem mais viver.

Não temais entregar-te ao sentimento,
Pois é recíproco o amor que nos reflite,
Se sentes medo, enfraqueces nossos laços,
Que necessitam de firmeza, tal correntes.

Deixais o amor falar mais alto ao coração,
Vem ser feliz, aqui, comigo, sem temores,
Já é finita a tempestade, vê as cores,
Nada de dores, ou cansaço, ou dissabores...

(11/05/2003)

Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 25/04/2006
Reeditado em 05/07/2009
Código do texto: T145038
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akasha De Lioncourt
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
706 textos (1035330 leituras)
72 áudios (109738 audições)
30 e-livros (56853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:08)
Akasha De Lioncourt

Site do Escritor