Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A OITAVA MARAVILHA.



A OITAVA MARAVILHA.
                                     

Com tanta beleza no mundo
Como eu iria acreditar,
Que dentro do próprio peito,
Poderia ainda encontrar,
A flor que ao desabrochar,
Seria o amor mais perfeito.

Seria o mais alto templo
Faraônico do Egito,
Também o maior exemplo
Da paz que há no espírito,
Como hoje eu o contemplo,
Por ser verdade e erudito.

É a mais singela beleza,
Santificada em Madonna,
Cujo olhar traz a nobreza,
Da dama sem ser cafona
Ao esconder a tristeza,
Pois do sentimento é dona.

Colosso maior que Rhodes,
O brilho de sua alma
Ilumina a Alexandria.
E o Deus do Olimpo, com calma,
Mostrará toda a alegria,
Que nos pode por à palma..

Predisposta a entregar
Seu amor a quem precise,
Deixa o peito extravasar,
Ouvindo de quem exige,
O alimento ao chorar,
Antes de sua crise.

Por isso vivo a certeza,
Que entre tantas maravilhas,
A oitava é a mulher.
É mãe, é paz, natureza,
A mata, o luar das Antilhas,
É tudo que o mundo quer.

Pois se mulher foi Maria,
Que nos deu o seu Jesus,
Cuja bondade e empatia,
Pelo sempre nos conduz
Agradecer dia-a-dia,
É nosso dever ante a cruz.
Condorcet Aranha
Enviado por Condorcet Aranha em 26/04/2006
Código do texto: T145845

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Condorcet Aranha
Joinville - Santa Catarina - Brasil, 76 anos
106 textos (14593 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:06)
Condorcet Aranha