Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Armadilha

Se disser que estou em paz
não acredita apenas ao me olhar
lê meu corpo
vela meu dormir
decifra minha alma
pois que sob aparente quietude
esconde-se um turbilhão
de desejos impudicos
assim como mares revoltos
tempestades , furacões
e batidas desconexas
meu coração inquieto
usa  ardis para conquistá-lo
passando do furor à calmaria
de consentida escravidão
após tê-lo capturado em meus lençóis
fazendo de meu peito a armadilha
que o levará, comigo,
ao alvoroço do gozo repartido

Maria Luiza de Monteiro Marinho
Enviado por Maria Luiza de Monteiro Marinho em 04/05/2006
Reeditado em 07/05/2006
Código do texto: T150273

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Luiza de Monteiro Marinho
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
149 textos (4798 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 07:03)
Maria Luiza de Monteiro Marinho