Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como a vida me fez

Se me subestimar já me perdeu
Se me rotular é pq não faz idéia de quem sou eu...
Previsível, definível? Eu não sou assim...
Se quero eu procuro o que for onde quer que esteja
Não quero saber de nada que pareça ser o que não seja
Se quer saber de mim, pergunte de uma vez a fonte que sou eu
Pq digo sem problemas, não espero nada de ninguém,
o que tenho batalhei p/ ter não foi a vida que me deu
O que quero eu encontro
Se desejo eu te beijo, se te quero eu te tenho
Não importa o que tente, nem o que pense de mim
Sem dizer coisas em vão, sem voltas nem rodeios
E não pretendo que me entenda, que saiba como é difícil ser assim
Não diga que não te avisei e pense bem se isso te convém
Sou livre, faz muito tempo que desisti de paixões
Já não me imponho aceitar condições
Já não me proponho a dar explicações
Agora sou assim
É pegar ou largar se achar ruim
Se há outra que te faça mais feliz pode ir
Só te quero se estiver por inteiro aqui
Sem duvidar nem sofrer
Pq vivo sem culpa, sem segredos
Gosto de me desvendar, descobrir meus medos
Provar mil amores, sentir todos os sabores que se há p/ sentir
Vivo c/ ou sem seus abraços, só não quero fracassos se eu posso os evitar
Não me agrada ter dono, quero viver o que sonho
Ou pelo menos tentar
Não quero ter perdões p/ perdoar
Essa sou eu inteira, sem tempo p/ talvez.
Nem sempre foi assim, mas essa sou eu agora, como a vida me fez.


                                        NÁDIA LUZ.
direitos reservados Nadia Luz
Enviado por direitos reservados Nadia Luz em 05/05/2006
Reeditado em 10/05/2006
Código do texto: T150701
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
direitos reservados Nadia Luz
Londrina - Paraná - Brasil
80 textos (7863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:20)
direitos reservados Nadia Luz