Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0690 - Rio sem nome




Minha vida é um rio sem nome,
com água sem perfume,
sem beiradas, sem fronteiras,
somente um rio sem nome e perdido.


Não imploro que me amem,
tenho sombras que vão além das margens,
a chuva não me faz transbordar,
o sol não consegue secar meu brilho.


Enquanto espero amor, corro lento,
de beirada a beirada ao longo do meu corpo,
deixo os redemoinhos fluírem no leito,
como se apagassem os pecados de ontem.


Sou um rio louco e desesperado,
minhas águas não cantam nas cascatas,
não me darei por vencido até o mar,
até um corpo que me espera para desaguar paixão.

15/05/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 15/05/2006
Código do texto: T156453
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116253 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:06)
Caio Lucas