Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0695 - Do amor que vive




Volto como um sonho que não passou,
durmo entre o amor e seu corpo,
faço o jogo do ter e do querer,
até quando a lua for do céu e o sol do dia.


Caminho seus pensamentos como na areia da praia,
piso suave às palmas das mãos sobre seus seios,
deslizo os pés como meu corpo desliza sobre o seu,
desviro suas lembranças d'outros amores.
 

Sinta a paz neste pleno azul do meu céu,
feche os olhos e deixe seu espírito flutuar,
vem, faz crescer, construa sua hora de felicidade,
suba cada degrau até encontrar minh'alma.


Colha as flores do algodoeiro antes do meio-dia,
faz amor e depois feche os olhos para o sol,
sinta a água do riacho correr seu corpo,
pare no tempo como se fosse seu último êxtase.


Vê o brilho de paixão dentro dos meus olhos,
as palavras pulam da boca com sabor do seu beijo,
respiro o vento da noite do amor que vive,
levou-me ao mais alto do céu e ao fundo do sonho.


Esqueça as horas secas de amor, os amarelos das noites,
liberte-se daqueles desejos que nem sonhos eram,
sorria dentro da minha boca enquanto beija,
não precisa dizer nada, fique livre e volte mais um dia.


17/05/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 17/05/2006
Código do texto: T157721
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116253 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:18)
Caio Lucas