Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0697 - Desenhos da minha vida





Não parei de olhar o amanhã,
nas certezas que hoje encontrei,
perdi o carinho, ela não falou de paixão,
seduza-me, faz-me seu o amor que busquei.





Desenhei um caminho para lua,
uma reta que atravessa meio mar,
como a esperança que parte ao meio o dia
e a saudade que não me deixa sonhar.





Tracei linhas entre o sim e o não,
guardei os sentimentos numa gaveta trancada,
matei as lembranças que me machucavam
abracei o destino e continuei a caminhada.





Meus dias têm lados iguais e diferentes,
parte triste, parte menor é felicidade,
deixei a paz numa rua qualquer da vida,
até que meus desejos conheçam a liberdade.





Quero meu destino ligado as coisas do céu,
vou fazer no meio do espaço minha cidade,
vai ter semente de amor, planta de carinho,
se necessário, corto a lua, corto o sol pela metade.





Não quero deuses que falam de amor,
não pense que depois vou amar por amar,
vale o sentimento que mostra a felicidade,
antes vou me sentir vivo, pra depois continuar.





22/05/2006


Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 22/05/2006
Código do texto: T160694
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116241 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:49)
Caio Lucas