Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O DIA EM QUE PARTISTE

Sou nada, desde o dia em que partiste,
Oh, minha alma gentil, que de mim te esvais,
Sou só esta renúncia de tudo o que desiste,
Todo eu sou queixume e meus ais.

Lá onde o horizonte se põem espero por ti,
Numa insana loucura de tudo o que não digo,
Quem me dera ter-te outra vez aqui,
Indo pelo mesmo caminho que eu sigo.

Mas ah, onde está tu minha adorada,
Tal como te foste não vieste mais,
E eu sinto-me como à gente ignorada,
Procurando os seus erros capitais.

Porque este amor é a minha morte,
E eu sou tão assim sozinho neste mundo,
Malfadada e cruel me dista a sorte,
Num desespero insano e imundo.

Quem dera tudo fosse diferente,
Que nós não tivéssemos terminado,
O sonho que se fez um dia contente,
Num jardim que morava ao lado.

Se voltasses para mim… ah, quem sou eu?
Um pobre que perdeu o rumo à vida,
Gente que em mim há muito já morreu,
Que como ela ainda espera a sua vinda.

Jorge Humberto
23/05/06








Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 23/05/2006
Código do texto: T161415
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 50 anos
2622 textos (66669 leituras)
22 áudios (937 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:07)
Jorge Humberto