Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VOU TE AMAR NO ACONCÁGUA




Mi gran amor! Ainda te espera,
A temporada já chegou à cordilheira!
Vamos subir a gigantesca montanha!
Lá no cume faremos uma intensa leira.

É nesta Cordilheira dos Andes,
A maior de todas as Américas,
É lá, que vou te cantar e amar,
Entre o céu e a terra, e ficar...

Estaremos na Parede Sul do Aconcágua,
Não sou alpinista, mas posso voar,
Igual o Condor que reina nos céus.

Levo-te até nos meus braços,
Como se fossem garras,
Que podem te abraçar.

No amanhecer, estaremos em Mendoza,
Entre o Parque Provincial do Aconcágua,
Será a nossa maior expedição,
Levando a tua alma e teu corpo,
Amando-te, é minha obrigação.

Vou escalar as alegrias nas geleiras,
A seis mil e novecentos e sessenta e dois metros,
Ó que belíssima altitude! Ó Dios!
Não temas! Vou arranjar una mula,

Lá! Somente em Plaza de Mulas,
Assim, tu descansarás da peleja.

¡Amor! ¡Mi amor inmenso!
Estaremos entre as duas faces,
Do maiúsculo monte Aconcágua,
Tanto na face do Sul,
Ou na cara do Noroeste,
Beijar-te-ei na Parede do Sul.

Verás que o meu amor tem progresso,
Permanecendo nos teus seios, todo azul,
Na confluência desta vida hermosa.

¡Amor! ¡Mi amor inmenso!
Jamais haverá tais altitudes,
Que possam causar um mal,
Nem os estrondos das avalanches,
Trarão medos ao nosso amor.

Vou te amar no mais alto da vida,
De toda a existência transamérica,
Se olhares, verás transatlântico,
Os beijos e abraços no universo.

¡Amor! ¡Mi amor inmenso!
Todas as meiguices no apogeu,
Afloram o mais belo amor nas alturas,
Com testemunhas presenciais – o Condor.

Meu grande amigo!  Condor amigo!
Estará nas alturas para prestigiar,
Abrindo as longas asas,
Cobrindo-nos do intenso calor,
Do amor que irá brilhar.

¡Amor! ¡Mi amor inmenso!
Não terás medo de passar,
Na face  Sul do Aconcágua,
Não, não terás tormentas!
Eu estou aqui para te ajudar.

¡Amor! ¡Mi amor inmenso!
Vou içar as cordas no vácuo,
Naquele apogeu dos deuses,
É lá, somente lá que vou te amar,

Sentindo o ar mais puro,
Das doçuras dos teus abraços,
Mergulhados dentro do meu corpo,
Nas carícias que ofuscam os meios.
Deslizando nas alturas do céu,
Afagando beijos entre os seios.

¡Amor! ¡Mi amor inmenso!
Não sou montanhista,
Altívago? Estarei sempre nas alturas,
Levando-te para amar.



ERASMO SHALLKYTTON
Enviado por ERASMO SHALLKYTTON em 24/05/2006
Reeditado em 29/09/2011
Código do texto: T162353
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ERASMO SHALLKYTTON
Caxias - Maranhão - Brasil
4168 textos (2055937 leituras)
1 áudios (971 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:28)
ERASMO SHALLKYTTON

Site do Escritor