Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um lobisomem não tão juvenil

Ah! Esses murmúrios na minha consiência
Tornam-se grunidos de desabafos
Não existe salvação, nenhuma resistência
Essa criatura está agora em trapos

Todo meu império de céticas convicções
dentro de um novo cotidiano carregado em emoções
cái perante a lua, sem nenhuma chance ou defesa
não há porto seguro, nem alguma incerta certeza

O pior, nada disso é importante
nem todo o infinito, nem cada instante
estou sereno, firme, posto e constante
como se meu último dia fosse assim, flutuante

Eu posso dizer, você foi uma revolução
Pode ser uma resposta ao poeta Renato
você é como conseguir chegar até as nuvens
sem precisar tirar meus pés do chão

Eu sei, palavras só são o que o coração não pensa
Mas agora tens aquela chave e toda minha devoção

(Obs: as duas últimas estrofes fazem menção a música do Legião Urbana - Eu era um lobisomem juvenil)
Augusto Sapienza
Enviado por Augusto Sapienza em 27/05/2006
Código do texto: T163890

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Augusto Sapienza
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 33 anos
52 textos (2158 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:29)