Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minha Poesia

Minha poesia,
notívaga,
predadora de mim,
é instintiva:
Sai da toca quando sente fome...

Ronda insone
a sílaba  indefesa,
presa fácil
do poema.
         
Minha poesia,
substantiva e visceral,
rói por dentro
o que dói por fora.
 
A poesia me caça nas horas de insônia,
fareja, em  mim,
o verso-objeto de sua ira faminta
e me busca onde eu esteja.

Rasteja pela folha de papel
a espreita do momento oportuno
para o bote indefensável
e arremessa sua fúria
em metáforas noturnas.

Minha poesia
assalta-me de surpresa,
abate-me e devora
e comemora
uivando para a lua.
Vaine Darde
Enviado por Vaine Darde em 09/06/2006
Código do texto: T172572

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vaine Darde
Capão da Canoa - Rio Grande do Sul - Brasil
543 textos (83355 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:17)
Vaine Darde