Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0723 - Estrada de aço




Minha estrada de terra revesti com placas de aço,
como nos sonhos que me acompanham por toda vida,
plantei flores ao longo dos braços de ferro
sem os abraços que me foram prometidos,
escondi a saudade do beijo que secou na boca de lata.


Pendurei estrelas de alumínio no céu que pintei no papel,
colei no teto naquele antigo quarto que dormimos,
fiz uma máscara de cobre batido,
risquei o zinco como se fosse relâmpago
para lembrar os êxtases das noites que fizemos amor.


Pendurei uma lua de bronze no poste da minha rua,
desliguei as lâmpadas dos faróis, parei os carros,
colori os passos com o mesmo grafite que escrevi um bilhete,
fiz um caminho de ferro que me leva até um céu,
não importa qual, se tem você, importa a paixão forte.

 
Forjei amor em uma caldeira de milhões de anos,
deslizei meus pecados por trilhos de uma grande locomotiva,
subi, fui o mais alto possível, conheci deuses,
colei uma moldura de ouro em volta do seu retrato,
sozinho, falei de amor, a caminho do meu mundo de metal.


22/06/2006


Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 22/06/2006
Código do texto: T180472
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116251 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:20)
Caio Lucas