Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO

A ti, a mais sublime entre as sublimes
NÃO
(Poema baseado em algumas letras do grande imenso Jorge Palma, ao qual “pedi emprestado” parte do sentido)

Partiste
Porque nem chegaste a ficar
Mas os céus sabem
Que é contigo
Que eu quero estar

Consigo respirar
No lugar comum
Que me diz
Que és o meu ar

Te nego afectos
No balanço da minha vida
Que estás agora a empurrar
Numa suave brincadeira de crianças
Nas quais me consigo realizar

Consigo resistir a essa voz
Que me diz coisas tão doces
Da profundeza do oceano
Até à altura das estrelas
Entre as quais brilhas
Pois para mim de todas és a mais bela

Te conserto
Mesmo quando erras como um computador
Até os teus erros são belos
Pois suscitam-me o mais belo amor

Consigo que o coração bata mais devagar
Quando estás perto
Ou quando em ti penso
O sangue acelera
A cabeça para
A vida ganha alento

Posso deixar de jurar a mil bandeiras
Infinitos estandartes
Que é a ti que amo
O todo
E não apenas meras partes
Porque a natureza não é a mesma
E sol e a lua estão sempre a trocar de lugar
A poesia é prosa
E a prosa um imenso poema
Que escreverei pela eternidade fora
Pois sei que és a tal
Que contigo
Tudo vale a pena
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 24/06/2006
Reeditado em 25/06/2006
Código do texto: T181682

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5079 textos (170372 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:59)
Miguel Patrício Gomes