Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rosa Ternura

Alma das Almas,caminha de alma em alma vagando!
Não sei de quais liras entoas em mim perfumando
e plantando silêncio contemplativo de Conquistas,
de quietude em amor,alargando veredas estreitas!

Mil vozes voam de uma suprema garganta celeste,
e docemente me situam como o radar de Maravilha,
porque, se sonhadora vou me perdendo vagueante,
sinto no peit'a brasa de Tua santa mão que brilha!

Tua voz é o marulhar,o gorjear,o gotejar da vida,
é cântico de crianças despertando sonhos risonhas,
dentro da vida e da morte com a boca enflorescida,
vulnerável à energia que lhes norteia’s façanhas!

Não é à toa que teus exemplos notáveis são tantos:
a todos será cobrado o cumprimento  das missões,
isolando das águas puras a levada pelos ventos,
para maior benção d’esplendor beijar os corações!

Que  perversos sejam amáveis, obtusos maleáveis,
e se soltem no perdão de frias prisões miseráveis;
certo que nenhum mal terá indulto, só aos meigos
de coração manso,céu de flores fará seus abrigos!

Alma das Almas, segue de alma em alma vagando!
Não sei de quais liras entoas em mim perfumando
e plantando silêncio contemplativo de Conquistas,
de quietude d'amor,alargando veredas estreitas!

Mil vozes voam de uma suprema garganta celeste,
e docemente me situam com o radar de Maravilha,
porque, se sonhadora vou me perdendo vagueante,
sinto no peit'o fogo de Tua santa mão que brilha!

Tua voz é o marulhar,o gorjear, o gotejar da vida,
cântico de crianças despertando sonhos risonhas,
dentro da vida e morte com a boca enflorescida,
vulnerável à energia que lhes norteia façanhas!

Não é à toa que os exemplos notáveis são tantos;
a todos será cobrado o cumprimento das missões,
isolando das águas puras as levadas aos ventos,
para maior benção d’esplendor beijar corações!

Que perversos sejam amáveis,obtusos maleáveis,
e se soltem no perdão frias prisões miseráveis;
certo que nenhum mal terá indulto, só aos meigos
de coração manso, céu florido fará seus abrigos!

A justiça do Senhor não falha,paulatina,calma
migra como chuva, semente encubada da lama,
recria no Oriente todas as florestas fecundas,
cheias de sacro Mistério, do qual são oriundas!

Se gemeu e sonhou, mas suas as mãos estendeu
à alma carente irmã,grande amor divino mereceu,
vagando entre raio e pedrada'inda sorriu perdida,
a dor flagelada do mundo est’alma fez esquecida!

Ao fechar seus doces olhos,a morte caladamente
aromou a'lma clarividente que seu dever cumpriu,
e de longo sonho imaginário, iberto e refulgente
cavou o eterno e as asas perenes abriu e partiu!

À que porém, no escuro não soube ser formosa,
não se consolou na magnitude da flor generosa,
não verterá encantamento da mais sutil doçura,
flóreo bálsamo santo, a magnifica Rosa ternura!

Santos-SP-27/06/2006

Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 28/06/2006
Código do texto: T183526
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:07)
Inês Marucci