Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
saudades de você, amor meu

não queria assim pecar com as palavras
não queria ter que trazer de volta em minhas lembranças
não queria te ver de novo nem escutar suas músicas mais uma vez
mas você está aqui
e te tirar seria como uma cirurgia sem anestesia novamente

ela pode ser sua alma gêmea
e que bom que mora longe
assim você não sofre tanto
aprenda a amar sem medidas ou resquícios de compromisso sério
eles podem te matar
você vai ter que mudar de rumo
senão você morre mesmo

não seja um livro de um idioma perdido
seja popular e honesto consigo mesmo
deixem que te chamem de “amor”
se valorize
ou se mate brevemente e de modo instantâneo
suba no palanque
e mostre que você é melhor do que jamais pôde ser

quem é você jovem homem que ainda chora por ela?
Quem é você censurado por todos?
Essa historia é só de vocês dois
E você convive assim no meio de tanta gente louca e insana
Que bom que reconhece os maus, definitivamente

Você é sempre assim tão bem apresentável
Continue com esse seu vigor
Mesmo que ela não note
Quem sabe no vale dos mortos ela não vire Santa
E você seja o Rei de Todos

Você a ama e não sabe
Loucura com a qual você já se acostumou mesmo
Prazer que tem um preço
E preguiça de lutar que não some jamais

Você já não está mais no meio de pessoas boas
O cerco fechou
E ela não está mais aqui
-ou já esteve mesmo?-
ela te fz chorar
e hoje você implora por um singelo abraço
ela está loira
e teus olhos verdes ainda brilham por ela
perfeita combinação
do loiro e verde
embora confesso
que preferia algo comum
mas com amor e perdão
ainda que ódio se assim precisasse
mas com perdão ao final
com amor ao final
com esquecimento ao final

pegue esse amuleto que deixei ai com você
e não olhe mais pra ele
derreta no fogo
ou não olhe mais pra ele mesmo
você me chama sem ter a intenção
queria te ver normal
queria te beijar
queria teu carinho
tua mão em mim
só uma se isso fosse muito pra você

prefiro ser um assassino
prefiro ser um maníaco depressivo
ter obsessões e obsessões
você me fez assim, velha mulher
não tenho Paz
não há como
nela encontrei o amor
nela estou no escuro
nela não há ar
e essa minha vela se apaga do nada, então...
...não torne a me ver ou passar em minha frente
se eu te ver desviar
sei bem o que quis dizer
prefiro que tenha medo de mim
prefiro que respeite minha dor em não te ter
já que você não pode me perdoar...
Rônaldy Lemos
Enviado por Rônaldy Lemos em 01/07/2006
Código do texto: T185679
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rônaldy Lemos
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, 34 anos
1173 textos (70496 leituras)
70 áudios (455 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:28)
Rônaldy Lemos