Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma carta, um desejo... Uma oferenda.


Hoje eu sei exatamente todos os erros que eu cometi,
Sei que realmente você me amava,
E tentou ficar ao meu lado,
Mas é difícil estar ao lado de alguém, que não consegue se entregar...
Você fazia tudo pra me ver feliz,
Quantas vezes, renegou seu mundo por mim,
E eu nunca soube retribuir.
Hoje eu sei que eu amo você.
Sei que quando eu chorava, em silencio, você sofria comigo.
Mas eu sempre tive tanto medo de sentir...
Que me fechava ao teu amor...
E você estava sempre ao meu lado,
E eu não queria entender, que você realmente estava ao meu lado.
Criava milhões de falsos motivos para não deixar fluir o que eu sentia por você...
Alias eu nunca cheguei a reconhecer, esse meu amar...
Eu vi você, partir, e havia lágrimas em seu olhar,
Você não queria ir, mas foi...
Hoje eu também sei,
Que a única coisa que você queria, era uma palavra, um gesto, um olhar...
Para ficar, para continuar lutando para salvar meu coração...
Da prisão que eu mesmo forjei, para mim,
Uma prisão sem muros, porém, intransponível para mim...
Você sabia que eu precisava de você, mas você também precisava...
Eu lhe feria e destruía com meu sarcasmo, seu coração...
Você se afastou a passos curtos, agora sei, para me dar tempo de lhe impedir...
E neste momento na sala vazia, sem sua voz, sem o perfume de sua presença,
Eu compreendi...
Mas continuo sendo a mesma garotinha fria e com medo, de sofrer,
Que teme entregar seu coração e perder...
Perder...
Já perdi uma vez, e temo não ser forte o bastante pra seguir em frente sem você...
Que tolice a minha, temo me entregar...
Sendo que já está em seu poder, minha alma...
Continuo com a garganta presa, sem poder lhe dizer em alto bom som o que eu sinto...
E está frio lá fora... Porém mais ainda aqui dentro...
Não sei se terei alguma chance ainda de lhe dizer isso...
Mas temo perder até minha sanidade forçada senão lhe dizer isso.
Espero que um dia, eu possa ter a coragem de lhe falar com a minha voz,
Que você sempre achou tão doce,
Que eu amo você,
Enquanto isso meu amor... Eu lhe escreverei...
A cada linha que eu escrever... Desta carta, e de todos os meus trabalhos.
Será uma oferenda, um modo de lhe dizer que eu valorizo cada segundo teu ao meu lado.
E pedir uma chance de um dia poder lhe falar...
Eu te amo...
Sem medos, sem reservas, deitar-me em seu colo, e aproveitar simplesmente a companhia de meu mais caro amor...
Com face de anjo... E meu anjo...
Sem muralhas,
Apenas eu e você.


Ao meu amado...
Obrigado por existir em minha vida.


Vivian Sales de Oliveira.
01/07/06
22h22min
Vivian Drecco
Enviado por Vivian Drecco em 06/07/2006
Código do texto: T188748
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vivian Drecco
Guarujá - São Paulo - Brasil, 32 anos
46 textos (2539 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:44)
Vivian Drecco