Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Noite gótica


Em uma linda noite gótica
Você e ela em um cemitério
Sentindo o frescor do vento dos espíritos em seus pulmões
E o amor daquele vinho seco e branco em suas bocas
Ele olhava com amor para o céu
Mas ele exitou em pegar em suas mãos
Mas se deixou levar pelo amor daquele momento

As gárgulas da goécia riam para ele
Ele estava tão feliz
Era o dia-noite de suas vidas
Era tudo o que ele pediu ate aquele capitulo da sua vida
E ele mal sabia que iria ser tão simples e bom
Podia ser um pouco mais “solto” e extrovertido
Mas foi como devia ser
Livre, leve, solto, frio e romântico

Um beijo como ele não havia visto
Tímido, audacioso, maduro
Tanto que fez ele ficar corado
Será que havia desaprendido a arte de beijar
E levar elas a loucura?
Será que agora eu estava diante de alguém tão linda e perfeita?

Em uma tumba ele cai
Em uma tumba ele pensa o quão não existe mal no mundo
E não há mesmo
Ele vê que o mundo não é assim tão mal e perigoso
E que pode haver garotas tão lindas e benevolentes como ela perto de você
Dentro do bolso de suas calças
Ou saídas direto das paginas secretas de meu diário
Ou de seu livro de magias inconsciente

Eu estava cozido em meus pensamentos
Ali não era não nenhuma área nobre
Mas você bordeou assim meu coração de um modo tão precioso
E não pediu a mim a fé que você necessitaria
Você via em meus olhos
Que por 2 horas e pouco mais que isso
Eu te amava mais e mais

Vesti a tua face na hora de ir embora
Ela estava assim tão linda e meiga
Lamento por não ter te abraçado mais e mais antes
Por antes
Ou desde a hora que chegamos

Não quero mais ter malícia
Não quero mais ter que esperar a hora certa de te beijar
Não sei onde tudo isso vai dar
Não sei se você é a minha pequena segurança de meus sonhos
Se meu violão toca perto de você
Ou se minha água se torna tão pura e limpa com a tua visão

Você era a minha garota de meus sonhos góticos
A minha vela vermelha e negra na escuridão
Meus olhos da cor de um oceano em profusão
Minha amiga de todas as horas
Aquela que espera paciente um beijo meu
Quase se enchendo de raiva ante a minha lentidão
Mas fique ciente que tudo aquilo
Foi para preparar um belo e charmoso drink
De beijos sangrentos mas tão doces e inesquecíveis
Tão amorosos e tão infantis
Tão imaturos de “não se sabe quem”
Tão meigo
Tão puro
Como eu nunca tive...
Rônaldy Lemos
Enviado por Rônaldy Lemos em 16/07/2006
Código do texto: T195047
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rônaldy Lemos
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, 34 anos
1173 textos (70536 leituras)
70 áudios (455 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:19)
Rônaldy Lemos