Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dúvida

Você é o sol que ilumina minh'alma,
Por que teimas em manter-me nas sombras?
Quando me negas tua luz, meu peito chora,
Não me castigues mais do que eu mereça pagar.

Se não me queres, ou me julgas tão profana,
A ponto de o teu amor não merecer,
Lembres, que o amor pode mudar,
Até o mais impuro dos corações.

Se me renegas e descrês da minha mudança,
Então não podeis confiar no teu amor,
Porque te falta acreditar na tua força,
De transformardes em pérolas o lodo da dor.

Se nunca erraste, atireis a primeira pedra,
Mas, te contenhas, pareis antes para pensar.
Pois que errar é inerente à tua raça,
E só erramos quando queremos acertar.

Por qual motivo me acusas veladamente,
E não me dás a chance de me expressar?
Será que sou assim, tão perniciosa,
Que temeis com minhas palavras se infectar?

Não me acuses, sem as provas para mostrar,
Porque me dói ser alvejada sem razão.
O meu amor é todo teu e sempre será,
Basta que aceites sem tanto titubear! 

(04/09/2002)

Akasha De Lioncourt
Enviado por Akasha De Lioncourt em 27/07/2006
Reeditado em 27/07/2006
Código do texto: T202827
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Akasha De Lioncourt
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
706 textos (1034607 leituras)
72 áudios (109732 audições)
30 e-livros (56832 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:46)
Akasha De Lioncourt

Site do Escritor