Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


É sublime amar assim,
sem poder se ver.
É o amor manifesto
com outra expressão.
É puro amar assim,
sem nada querer.
Talvez seja esta
uma legítima afeição.

Não nos pertencemos
e no entanto, nos temos.
Nada esperamos
e se esperamos, sofremos.
Mas, lá no cerne
do quanto nos queremos,
sobrevive a tênue esperança
de que ainda nos veremos.

São longínquas esperanças,
remotos anseios...
mas não temos vivido
destes devaneios?
Quando o amor é grande
a gente não esquece.
Os ânimos se altercam,
a chama arrefece,
parece que vai morrer
e de repente aquece.
É que o "coração tem razões,
que a própria razão desconhece".



Hedi Diniz
Enviado por Hedi Diniz em 28/07/2006
Código do texto: T204145
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hedi Diniz
São Paulo - São Paulo - Brasil, 58 anos
1078 textos (99089 leituras)
1 áudios (264 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 14:10)
Hedi Diniz