Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Solidão


Garras que me sustem, impacientes!

Impróprios sentimentos,

que me atacam!


Solidão, monstro incolor,

mas presente!

Solidão que avança,

Sobre os meus sentidos,

perdidos,lentamente!


Solidão, executor implacável,

D'uma sentença, que eu não sei,

D'um pecado, que eu não pequei,

Num julgamento sem lei!


Solidão, onda que me tomarás um dia,

imbatível, imensa,

e me afogarás neste mundo de dejectos,

neste Mar de gente cega!
Aguarela Matizada
Enviado por Aguarela Matizada em 01/08/2006
Reeditado em 03/06/2010
Código do texto: T206513

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aguarela Matizada
Brisbane - Queensland - Austrália, 57 anos
266 textos (10830 leituras)
8 áudios (206 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 11:04)
Aguarela Matizada