Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sinais

Em toda vez que estás na rua,
no vai-e-vem da avenida,
tu não percebes os sinais que o amor te diz.

Pelos cães abandonados
que passas sem notar
eu te busco nessa dor
de cada olhar...

Nas sacadas, onde mora a solidão,
tu não vês que em cada flor que se rebela...
A primavera escreve um verso para ti.

Dos varais que se equilibram
sobre os prédios,
nas roupas que tremulam ao vento
vertendo lágrimas coloridas,
sou que aceno e choro quando passas...

Nas três luzes do semáforo eu te chamo!
Sou eu quem grita nas buzinas
enquanto escreve, com andorinhas,
na pauta dos fios de luz.
a partitura dos teus passos musicais.

Na palmeira que perde as folhas
quem se desfolha sou eu
em cada poema que se suicida a teus pés.
No bem-te-vi que te desperta em todas as manhãs
sou eu que bem te vejo
desde onde não me vês.

Ah! Se decifrasses os sinais que te envio
e não vês por onde passas...
Se soubesses ler, na metafísica que grita,
a poesia disfarçada...



Vaine Darde
Enviado por Vaine Darde em 09/08/2006
Código do texto: T212657

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vaine Darde
Capão da Canoa - Rio Grande do Sul - Brasil
543 textos (83368 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:15)
Vaine Darde