Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Convém

Convém que eu fecho
meus olhos tristes
e pinte a noite iluminada,
solitária de Van Gogh.

Convém que os clarões
em névoa, que estampam
a dor incessante,suavizem
a escuridão dessa tristeza.

Convém que eu eternize
os sonhos: porcelana azul.
Flores, matizes, cores:
aurora em vitrais.

Convém que eu creia,
acredite no luar
permamente que ilumina
a maresia do seu ser.

Convém que meus passos incertos,
suspiros em nuvens de angústia,
sigam seu caminho-constelação:
estrelas e mistérios...

Convém que seu silêncio noturno
fale-me de amor eterno.
E acorde os meus sentidos dormentes.
E me faça renascer, na madrugada...

Convém que meu olhar
seja a Vida que lhe falta.
O meu sorriso, o oxigênio, o ar
que tanto precisa para viver.

Convém que eu esboce riscos e rabiscos:
minha alma em palavras.
E que você, agora,
compreenda...


SueliFajardo
Enviado por SueliFajardo em 18/08/2006
Código do texto: T219324

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SueliFajardo
Jandaia do Sul - Paraná - Brasil
942 textos (29986 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:03)
SueliFajardo