Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como Medusa...

Homens me olham furtivamente
Como se fossem pedra virar
Sinto que pode ser
Mágico ou trágico
Medo de que suas mulheres
Durmam acordem com um "Homem - Pedra"
Medo de verem seus "homens de pedra"
Se quebrarem aos meus encantos de Medusa
Quero livrar-me desse estigma
Se desejo normal ser, mas nada posso fazer
Sou exótica, estranha e fria
Atraio os desafiantes, os curiosos
Se apenas os fortes  tentam me encarar.
Sei que você meio que escondido me segue
com seus olhos desafiadores e vorazes
Mas não posso ser sua.
Sou Medusa amo o inanimado
Não posso transformar-te em amado
Não posso ficar ao seu lado
Não me olhes de novo
Ou terei que te transformar em pedra
Um dia novamente o deus dos deuses
me transformará em mortal
Quem sabes um dia ao me olhar
Poderá ver todo amor que tenho pra te dar.



Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.5/br/ ou envie uma carta para Creative Commons, 559 Nathan Abbott Way, Stanford, California 94305, USA.
Malu Freitas
Enviado por Malu Freitas em 23/08/2006
Reeditado em 30/08/2006
Código do texto: T223441

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Malu Freitas). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Malu Freitas
Salvador - Bahia - Brasil
57 textos (7082 leituras)
1 áudios (60 audições)
1 e-livros (68 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:41)
Malu Freitas