Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Mais outra vez te tive,
Como quem agarra o vento
Com as mãos,
Sabendo que partirás de novo!
Escutei, em êxtase, a doçura da tua voz,
A franqueza do teu Ser!
O teu cuidado em não me deixar voar,
Demasiado além,
Em não me perder,
Mas, sabendo que nesse vôo,
Se pudesses,
Virias, também, ver o Sol nascer!

Ah! Meu amor, o mundo pára,
Quando chegas!
O meu coração bate,
Irremediavelmente louco,
Qual locomotiva desenfreada.
Neste trajecto rectilínio,
Fico logo alvoroçada,
Entrando em desalinho...


Ah! Minha paixão!
Apesar de te ter por tão pouco,
Amo-te tanto!
Mais do que o sal ama o mar,
Do que a flor ama a seiva,
Do que a noite ama a lua!

E eu sei que do teu jeito
De menino tímido,
Me amas como homem...
Mantendo, mesmo assim,
Deliciosamente,
A pureza de criança!!

É nessas almas lindas,
Como a tua, meu Amor,
Que neste mundo,
Fétido, por vezes,
Onde proliferam
Velhas hienas e chacais,
Abutres e outros mais,
Famintos de carne pura,
Sedentos, com invejas tais...
E, mesmo assim,
Nossa realidade dura,
Perdura,
Contendo vendavais!
E tudo Avança!
Pois nosso amor foi gerado,
Com as cores da esperança!
Aguarela Matizada
Enviado por Aguarela Matizada em 26/08/2006
Reeditado em 04/01/2010
Código do texto: T226066

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aguarela Matizada
Brisbane - Queensland - Austrália, 57 anos
266 textos (10830 leituras)
8 áudios (206 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 18:49)
Aguarela Matizada